Assista nossos Programas

domingo, 13 de outubro de 2019

Mais de 1.300 unidades se comprometeram a ampliar o atendimento ao cidadão



O Programa Saúde na Hora, presente em 220 municípios, amplia repasses federais para unidades que estenderem o horário de atendimento à população para o horário do almoço e à noite

Lançado em maio pelo Governo Federal, o Programa Saúde na Hora já conta com a participação de 1.387 Unidades de Saúde da Família (USF) que se comprometeram a estender o horário de atendimento à população em 220 municípios de 24 estados e DF. Atuam nessas unidades 5.335 Equipes de Saúde da Família e 1.893 Equipes de Saúde Bucal, cobrindo aproximadamente 18,4 milhões de brasileiros. Com as novas adesões, publicadas nesta semana no Diário Oficial da União, o Ministério da Saúde irá repassar cerca de R$ 212,4 milhões a mais para o custeio dessas unidades em 2019, chegando a R$ 586,2 milhões a partir do próximo ano.

Em agosto, a programa Saúde na Hora superou a meta de habilitar até mil Unidades de Saúde da Família ainda em 2019. A iniciativa amplia recursos mensais a municípios que estenderem o horário de funcionamento das unidades para o período da noite, além de manterem as portas abertas durante o horário de almoço e, opcionalmente, aos finais de semana. Até então, a maior parte das 42 mil USF em todo o país funcionam por 40h semanais.

Com a medida, a população terá mais flexibilidade no acesso aos serviços ofertados nas unidades de saúde da Atenção Primária, como consultas médicas e odontológicas, coleta de exames laboratoriais, aplicação de vacinas, consultas pré-natal, triagem neonatal, entre outros procedimentos.

Cada equipe que atua nessas unidades é formada por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde, além de profissionais de saúde bucal, como cirurgiões dentistas e técnicos de odontologia.


SAÚDE NA HORA

O Programa é uma iniciativa federal que incentiva a ampliação do atendimento à população nos serviços de saúde da Atenção Primária – principal porta de entrada ao SUS e onde é possível solucionar até 80% dos problemas de saúde do cidadão. Como incentivo, os repasses mensais do Ministério da Saúde podem dobrar de valor, dependendo da quantidade de Equipes de Saúde da Família e de Saúde Bucal, além da carga horária de atendimento das unidades, que pode variar entre 60h e 75h semanais.

Depois da adesão, as unidades que recebiam R$ 21,3 mil para custeio de até três equipes de Saúde da Família passam a receber R$ 44,2 mil caso optem pela carga horária de 60h semanais, o que representa um incremento de 106,7% ao incentivo de custeio. Ainda com a opção de funcionamento por 60h, caso a unidade possua atendimento em saúde bucal, o aumento pode chegar a 122%, passando de R$ 25,8 mil para R$ 57,6 mil.

Já as unidades que recebiam cerca de R$ 49,4 mil para custeio de seis equipes de Saúde da Família e três de Saúde Bucal e optarem pelo turno de 75h, receberão R$ 109,3 mil se aderirem à nova estratégia – um aumento de 121% no custeio mensal.

Para participar do programa, as Secretarias de Saúde precisam enviar proposta ao Ministério da Saúde, por meio do sistema online, indicando quais são as USF que desejam adaptar para o modelo de horário estendido. Após análise e aprovação do pedido, o Ministério da Saúde repassa incentivo de adesão que pode variar entre R$ 22,8 mil para USF que optar pela carga de 60h sem atendimento odontológico e R$ 31,7 mil para USF que conta com equipes de saúde bucal. Para as que optarem pelo turno de 75h semanais, são repassados cerca de R$ 60 mil de incentivo. Esses recursos devem ser usados para preparar as unidades que vão funcionar no novo formato.

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

O comportamento suicida

"Segundo a OMS, 90 por cento dos casos poderiam ser evitados, reconhecer os sinais de alerta pode ser o mais importante passo"

O suicídio é o ato de retirar a própria vida,, porém, pode ser evitado se identificarmos os sinais. “A maioria dos suicidas pede ajuda antes, ou seja, é mito que a pessoa que quer se matar, não pede socorro. O suicida não quer morrer, quer aliviar seu sofrimento. O que faz com que alguém cometa suicídio intencionalmente, em geral, é uma dor emocional muito forte, onde a pessoa tem a impressão de que não há o que fazer ou como melhorar, senão cometendo o ato”, explica o Dr. Marcel Padula Lamas, psiquiatra do centro médico Consulta Aqui.

Há divergências na área científica sobre o suicida, alguns autores consideram suicídio apenas se cometido de forma intencional, exemplo: o indivíduo que toma veneno ou se enforca), outros, são mais abrangentes, e englobam também, pessoas que têm comportamentos suicidas, como o diabético que come açúcar, o hipertenso que exagera no sal, até mesmo, o que ingere grandes quantidades de bebida alcoólica e depois dirige.

Existem também, doenças mentais que aumentam a chance do paciente cometer suicídio, como depressão unipolar ou bipolar, que está associada a 40% dos casos, seguido de etilismo (25%), esquizofrenia (10%) e delirium (5%). Sinais como os famosos "D"s: dor psíquica, depressão, desespero, desesperança, desamparo, dependência química e delirium devem ser notados com cautela, além da presença de fatores precipitantes e/ou predisponentes.

Os fatores precipitantes são agudos, geralmente passageiros na vida de alguém, e levam o indivíduo a tentar o suicídio, por exemplo, alta recente de hospitalização psiquiátrica, modificação de situação econômica e financeira, casos de baixa autoestima e graves preocupações.

Já, os predisponentes são crônicos e, em geral não podem ser mudados. Exemplos: Sexo masculino (cometem 4 vezes mais suicídio), feminino (3 vezes mais tentativas), idade (mais jovens tentam mais o ato, idosos conseguem o maior número), histórico familiar, tentativas prévias, presença de doenças físicas ou mentais.

"O principal é observar os fatores de risco na pessoa, acolhê-la, mostrar o quanto ela é importante, perguntar como está se sentindo e se mostrar disposto a ajudar. Mesmo que o paciente tenha fatores de risco importantes, mas não estiver com ideação suicida, o acompanhamento pode ser ambulatorial. Mas no momento em que a pessoa está com ideação suicida, é extremamente doloroso, portanto, não julgue e não arrisque! Leve-o à um psiquiatra urgentemente e não o deixe sozinho. Buscar essa ajuda o quanto antes, é essencial", finaliza.

Consulta Aqui:

Centro médico oferece exames e consultas a preços acessíveis.

Em um único lugar, o Consulta Aqui oferece mais de 20 especialidades médicas e diversos exames com agilidade e corpo clínico altamente especializado.

Com o slogan “Sua saúde no lugar certo”, o Consulta Aqui, localizado na Lapa, zona oeste da capital paulista, vem conquistando a cada dia mais clientes que encontram ali uma forma de realizar suas consultas e exames a preços competitivos em relação aos cobrados em clínicas e laboratórios da região.

Entre as especialidades médicas, o centro conta com Cardiologia, Bucomaxilo, Cirurgia Torácica, Cirurgia Geral, Cirurgia Plástica, Clínico Geral, Dermatologia, Endocrinologia, Fisioterapia, Gastroenterologia, Ginecologia, Neurologia, Oncologia, Hematologia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Pneumologia, Proctologia, Urologia e Cirurgia Vascular.

Contando com um corpo clínico especializado, o Consulta Aqui oferece ainda sessões de fisioterapia - motora, respiratória, neurológica, ortopédica, reumatológica e urológica – além de Reeducação Postural Global (RPG) e drenagem linfática pré e pós-operatória.

Disponibiliza também exames laboratoriais, passando por check-ups (clínico, cardiológico, ginecológico, urológico e pré-operatório), escleroterapia, lavagem de ouvido, até procedimentos estéticos não invasivos, realizados por cirurgiões plásticos e dermatologistas.

Entre os muitos benefícios concedidos aos seus clientes, o Consulta Aqui lançou seu cartão fidelidade. Com ele, além de desconto de 10% a partir da quinta consulta, ao atingir dez carimbos o cliente ganha uma consulta com o especialista de sua preferência.

Serviço:

Endereço:

Rua Barão de Jundiaí, 485 – Lapa - São Paulo – SP

Central de atendimento: (11) 3838 4669

Site: http://www.consultaaqui.com.br/

Planos de saúde credenciados

ABET – ALLIANZ – AMEPLAN – BRADESCO – CABESP - CARE PLUS - CET - FUNDAÇÃO CESP – GAMA – GEAP - LIFE EMPRESARIAL – MEDSERVICE - GRUPO NOTRE DAME - INTERMÉDICA SANTA AMÁLIA – PLASAC - PORTO SEGURO (FUNDAÇÃO ITAU) – SÃO CRISTÓVÃO - SEPACO – SBC SAÚDE - SIND. DAS BORRACHAS - SISTEMA TOTAL DE SAÚDE - SUL AMÉRICA





quarta-feira, 21 de agosto de 2019

COMISSÃO ESPECIAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PL 3261/2019



Foi instalada na tarde desta quarta-feira (21) a comissão especial que discutirá o Marco Regulatório do Saneamento Básico (PL 3261/2019). Na primeira reunião de trabalho, que contou com a presença do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deputados elegeram os membros da mesa diretora. O presidente da comissão será o deputado federal Evair de Melo, do PP capixaba, enquanto o deputado Geninho Zuliani (DEM-SP) será o relator. Um dos principais desafios da comissão será apresentar, em até dez sessões, um relatório que permita a universalização do serviço de saneamento no Brasil.

O tema volta à pauta da Câmara dos Deputados depois de a MP 868/2018 perder a validade em junho deste ano. O PL 3261, de 2019, foi apresentado pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) e incorpora boa parte das mudanças que eram previstas na medida provisória. Um dos principais pontos da nova redação prevê que os contratos de saneamento passem a ser estabelecidos por meio de licitações, facilitando a criação de parcerias público-privadas, as chamadas PPPs. Isso, segundo deputado Evair de Melo, será fundamental para atrair investimentos ao setor e transformar a realidade de cerca de 35 milhões de brasileiros que não têm acesso a água tratada. “Triste saber que crianças ainda morrem todo dia vítimas de falta de saneamento. Precisamos de articulação efetiva e essa discussão permitirá que o país avance nesse sentido”, defendeu Evair.

Primeiro vice-presidente da comissão, o deputado Enrico Misasi (PV-SP) afirmou que reparar os problemas do saneamento no Brasil é quitar um débito com a população, principalmente a parcela mais carente. “É justiça e não caridade. Devemos encontrar soluções para que o saneamento atinja a todos. Podemos até divergir quanto aos meios de chegar a essa finalidade, mas partimos do pressuposto de que todos estão dispostos a atender a população”, ponderou. Ainda segundo o parlamentar, o mais urgente é conseguir criar um novo modelo para o saneamento no país. “Todo mundo aqui é unânime em diagnosticar o problema. A gente precisa de um novo marco regulatório que tenha como norte e foco a universalização do serviço de saneamento”, completou.
Relatório

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, estabeleceu um prazo de dez reuniões para que o relatório seja apresentado na comissão. A expectativa do presidente é votar a proposta, no Plenário, em setembro. Segundo ele, o texto, já votado pelo Senado, tem o objetivo de estabelecer como o saneamento pode ser gerido, com mais participação dos estados nesse processo. “Sabemos que a maioria dos estados vive perda de capacidade de investimento, não apenas nessa área, mas em muitas outras, é um momento de crise fiscal, mas espero que a Câmara possa dar sua contribuição fazendo uma nova regulação para beneficiar milhões de brasileiros”, salientou Maia.

O relator Geninho Zuliani disse estar ciente do desafio que envolve o tema e se comprometeu em ouvir todos os segmentos para construir um relatório que tenha unicidade. “O papel do relator é esse. Poder ouvir todos os partidos, ouvir todas as lideranças, ouvir as associações – associação das empresas privadas, associação das concessionárias, associação das municipais - e poder construir um relatório, talvez não de consenso 100%, mas que atende a ampla maioria da comissão. O objetivo é tentar, acima de tudo, trazer um texto que atenda os anseios da população brasileira”, afirmou o parlamentar.

Outro ponto, para o relator, é encontrar o “bom caminho” das privatizações. “São necessários R$ 600 bilhões para investir na área de saneamento e alcançar a universalização dos serviços no país. Você não consegue isso somente com o poder público. Nós temos que achar um caminho para preservar aquilo que é bom e buscar alternativa para o novo, que é o dinheiro da iniciativa privada”, completou.


Texto: Camila Costa

 Lembrancinhas personalizadas para batismo


terça-feira, 20 de agosto de 2019

O que você deve saber sobre prevenção de doenças vasculares



Vamos falar sobre prevenção de doenças vasculares?

Que tal abordarmos temas importantes para nossa segurança? afinal na média populacional, a maioria das pessoas não se cuidam preventivamente


Por conta desta triste realidade é essencial falarmos sobre a importância dos exames e tratamentos prévios, pois, na maioria das vezes, muitas doenças podem ser evitadas se forem tratadas com antecedência.

A trombose, por exemplo, é a formação de um trombo ou coágulo no interior de um vaso sanguíneo em partes inferiores do corpo, como nas pernas. A formação desta enfermidade bloqueia o fluxo de sangue, causando inchado, queimação e dores na parte afetada

Por isso, o Dr. Robert Guimarães, especialista em cirurgia vascular, endovascular e angiorradiologia explica mais sobre aneurisma de aorta em qualquer parte do corpo; varizes e pélvicas; angioplastia; insuficiência venosa crônica; diabetes; doença arterial periférica obstrutiva; trombose; tratamentos a laser e varizes. Todas essas complicações podem ser precavidas com um simples check-up.

“Sabemos que a maior parte da população deixa de fazer exames gerais por acharem que a saúde está perfeita ou por colocarem a culpa na falta de tempo. Porém, ter este cuidado é primordial, pois doenças como essas podem ser curadas se forem tratadas previamente”, ressalta o especialista.

A trombose pode causar uma obstrução total das artérias do cérebro, chamado de acidente vascular cerebral, o conhecido AVC. “O maior problema é quando ocorre o processo de embolia fazendo um coágulo na corrente sanguínea. Uma embolia pode ficar presa nos pulmões, no cérebro, no coração ou em outra área, levando a graves lesões e até a morte”, explica o Dr. Robert.

Essa e outras doenças podem ser evitadas com a realização frequente de um check-up. O especialista identifica a situação e toma medidas iniciais para que o quadro não se agrave. Como, por exemplo, mudança nos hábitos alimentares, atividades físicas e, caso necessário, receitar uma medicação.

Segundo Robert, manter hábitos saudáveis também ajuda a nos prevenir. “O jeito como levamos nosso estilo de vida também influencia muito nossa saúde. Manter uma alimentação balanceada, praticar exercícios quando possível e não fumar são dicas fundamentais para precaver essa e outras doenças”

Fica a dica! Manter hábitos saudáveis e o acompanhamento médico podem salvar vidas, pois o cuidado tardio muitas vezes é seguido de sofrimento.


Lembrancinhas personalizadas em papel

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

O ultimo trabalho do ator Leonardo Machado antes de falecer estréia 12/9 nos cinemas



A vida do político Leonel Brizola ganhou versão cinematográfica. Após a renúncia de Jânio Quadros ao cargo de presidência da República, o vice-presidente João Goulart tornou-se o sucessor natural. Porém, com o receio de o Brasil se tornar um país de esquerda, militares pediam pelo impedimento da posse de Jango.

A partir deste momento, Brizola, interpretado por Leonardo Machado, organizou o movimento “Legalidade”. que é o nome do filme, dirigido por Zeca Brito, e que foi exibido no Festival de Cinema de Gramado, no último domingo (18). O diretor criou ainda uma personagem chamada Cecília, que é interpretada por Cleo Pires, atualmente usando apenas o nome Cleo.

À princípio, a ideia de criar uma personagem que não existe em uma trama documental não faz tanto sentido. Porém, no início a personagem de Cleo, que é uma espiã disfarçada de jornalista, tem alguma funcionalidade. A estória se perde quando a personagem se envolve em um triângulo amoroso, e acaba tirando um pouco essa ideia de contar a história real do ex-governador do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul.

Mas, ao remontar os fatos da época, o filme agrada. Tem um contexto interessante, conversa bem com imagens reais da década de 1960 e as filmagens atuais do filme. O ator Leonardo Machado contribuiu com uma excelente atuação – foi uma maneira honrada de se despedir das telonas, antes de morrer por conta de um câncer. Foi feita, inclusive, uma homenagem para o ator antes da exibição.

Em coletiva, Cleo respondeu a uma pergunta sobre a elaboração pré-gravações. Ela conta que “era mais uma preparação assim, dos tempos, da sensação política da época. O fato de a minha personagem ser uma gringa infiltrada e espiã, fingindo ser outra coisa”, explicou a atriz.

O diretor de “Legalidade”, Zeca Brito, que foi nomeado recentemente como diretor do Instituo Estadual de Cinema do Rio Grande do Sul (Iecine) disse que a arte “não consegue mudar a sociedade diretamente, mas consegue mudar a consciência de pessoas, que podem mudar a sociedade”.

Para ele, o longa “fala sobre a fragilidade da nossa democracia, mas a importância da nossa vigilância e atuação. Cada um de nós tem o país dentro de si, quando a gente abre o olho, a gente enxerga o Brasil, quando a gente vai dormir, o Brasil dorme com a gente. Quando a gente morre, morre o Brasil”, declarou Brito.

Ciro Gomes, líder do Partido Democrático Trabalhista (PDT), foi um dos convidados na plateia. Para ele, “Legalidade” é uma documentação histórica de “uma pessoa a quem o Brasil deve muito”.

“Esse filme precisa ser visto por todos os brasileiros, principalmente num tempo em que se faz apologia à ignorância, o obscurantismo agride a educação, ciência, tecnologia, a cultura é silenciada, 'desfinanciada', e a superstição tem sido posta como solução para coisas absurdas. É muito importante que a gente veja um filme como esse”, afirmou o político.

“Legalidade” estreia nos cinemas brasileiros no dia 12 de setembro.


Sacola customizada para lembrancinha de casamento

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Delegados da PF reagem a interferências políticas do presidente

Entidades de classe que representam os delegados de Polícia Federal veem com preocupação as recentes declarações do presidente da República, de que quem determina as nomeações na instituição é ele, e temem que interferências políticas atrapalhem o trabalho policial de excelência que vem sendo desenvolvido na instituição durante décadas. “A Polícia Federal não é um órgão que fica à disposição da agenda de interesses
Tania Prado
do governante do momento”, define a presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo (SINDPF-SP), Tania Prado.

Na avaliação dos profissionais, as falas do presidente indicam uma forte ingerência na instituição e reforçam a necessidade urgente de dar autonomia constitucional para que a Polícia Federal fique livre de ingerências políticas. “É preciso garantir na Constituição a autonomia da PF. Uma proposta de emenda tramita há 10 anos e ainda não avançou. É uma questão urgente, pois está evidente que a cada governo que passa, os políticos irão buscar formas de tomar a instituição, aparelhando-a, conforme seus interesses, o que é o mesmo que implodir o órgão”, afirma Tania.

A preocupação dos delegados é que os recentes atos do presidente, como o contingenciamento de verbas que suspendeu treinamento continuado dos policiais e está afetando as operações com as restrições de viagem em alguns estados, inviabilizem investigações importantes. “Não é aceitável que um presidente se comporte dessa forma com a Polícia Federal, atropelando decisões que cabem ao diretor-geral e passando por cima até mesmo do ministro Sergio Moro, conforme sua agenda de interesses”, afirma Tania.

Depois de anunciar nesta quinta-feira (15/08) que exoneraria o superintendente da PF no Rio de Janeiro, o presidente informou nesta sexta-feira (16/08) que escolheria o substituto para o cargo no Rio de Janeiro e que quem manda na instituição é ele.


Anjinhos para lembrancinhas de batismo e maternidade

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Pesquisa da UFSCar oferece tratamento para pessoas com dor no pescoço ou na coluna cervical


Voluntários passarão por avaliação e por dez sessões de fisioterapia gratuitas




Uma pesquisa de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está convidando voluntários para verificar a eficácia de procedimentos que podem aliviar a dor do pescoço ou da coluna cervical (região superior das costas). Os participantes passarão por avaliação e tratamento fisioterapêutico gratuitos.

A pesquisa "Avaliação clínica e eficácia da fotobiomodulação e estimulação elétrica nervosa transcutânea em indivíduos com dor cervical crônica não específica" é realizada pela doutoranda Erika Rampazo da Silva, sob orientação de Richard Liebano, docente do Departamento de Fisioterapia (DFisio) da UFSCar. O objetivo do estudo é analisar as possíveis diferenças em relação à dor, incapacidade funcional, mobilidade cervical, sensibilização central e fatores psicossociais entre indivíduos com dor cervical crônica não específica e indivíduos saudáveis, além de verificar a eficácia da fotobiomodulação e da estimulação elétrica nervosa transcutânea.
]
A pesquisadora explica que a fotobiomodulação consiste na aplicação da luz laser de baixa intensidade para redução da dor. A estimulação elétrica nervosa transcutânea é a aplicação - por meio de eletrodos autoadesivos individuais - de uma corrente elétrica para diminuição da dor. Rampazo explica que os dois procedimentos serão usados na região dolorosa. "Ambos os recursos são analgésicos e a utilização associada deles pode promover o efeito analgésico mais rápido e mais duradouro", complementa a doutoranda.

De acordo com ela, os resultados mostrarão a eficácia da utilização isolada ou combinada dos dois recursos em pessoas que tenham dor cervical crônica, o que pode ajudar na conduta fisioterapêutica no tratamento de pacientes que tenham o problema. 

Para realizar o estudo, estão sendo convidados voluntários, homens ou mulheres, que tenham entre 18 e 65 anos de idade, com dor no pescoço há mais de três meses e que não tenham realizado fisioterapia nos últimos três meses. Os participantes passarão por avaliação, dez sessões de tratamento e, posteriormente, serão reavaliados. O atendimento será realizado no Laboratório de Recursos Fisioterapêuticos do DFisio, na área Norte do Campus São Carlos da UFSCar. Interessados em participar podem entrar em contato até o mês de outubro deste ano pelo e-mail pesquisaemdorcervical@gmail.com ou pelo telefone (16) 98869-2535 (ligação ou WhatsApp). Projeto aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFSCar (CAAE: 81711417.0.0000.5504)