Assista nossos Programas

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Nova diretoria da ADIBRA assume mandato

Álvaro Mendes Pereira
Eleito por aclamação, novo presidente da entidade passa a ser Álvaro Mendes Pereira, que é diretor presidente da Parks & Games

A Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil (ADIBRA) apresenta sua nova diretoria, que iniciará as atividades no dia 1º de janeiro. O resultado foi anunciado após Assembleia realizada com os associados no dia 9 de dezembro, no Parque da Mônica.


A chapa foi apresentada pelo atual presidente da entidade, Francisco Donatiello Neto e eleita por aclamação. Para a presidência, foi escolhido o diretor presidente da Parks & Games, Álvaro Mendes Pereira. A vice-presidência ficou com Vanessa Santos da Costa, diretora do Moreno’s Park. O diretor executivo do Parque da Mônica, Marcelo Beraldo, foi eleito para assumir a direção financeira e administrativa da entidade. O diretor de marketing e negócios do Magic City, Paulo Kenzo, assumiu a diretoria de treinamento e desenvolvimento, enquanto Alexandre Moraes, diretor do Playland, permaneceu com o cargo de diretor técnico.

A direção de marketing e comunicação ficou a cargo de Henry Hila, do Ingresso com Desconto (ICD); o diretor de relacionamento com o associado é Emílio Rodrigues, que é o diretor de operação e expansão do Grupo Show Play; o diretor do Arcobaleno Fornecedor de Equipamentos, Ricardo Vitolo, assumiu a diretoria de feiras; o CEO do Complexo do Gorilão, Rodger Augusto, será o diretor de parques itinerantes; e o diretor da Matic Play, Paulo Esteban, assumiu a diretoria de buffets.

A cerimônia de posse aconteceu durante a festa de 25 anos da ADIBRA, realizada no mesmo dia da Assembleia, no Parque da Mônica. O evento, além de celebrar o aniversário de 25 anos da entidade, marcou o encerramento do ano. O encontro reuniu todo o mercado de entretenimento do Brasil.

Sobre a Adibra

A Adibra - Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil - foi criada em 1989 com o apoio e o incentivo da IAAPA - International Association of Amusement Parks and Attractions - e hoje reúne os mais importantes parques do Brasil. Atuam voluntariamente no Conselho Administrativo da Adibra profissionais do ramo que objetivam fortalecer o setor, sustentando o crescimento do entretenimento nacional. Outras informações sobre a Adibra podem ser obtidas pelo site: www.adibra.com.br

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

IBGE coloca Osasco como 2ª maior economia do estado‏

Osasco encerra o ano como o 9º maior PIB (Produto Interno Bruto) do País. O município é a 2ª maior economia do Estado de São Paulo, atrás apenas da Capital. A cidade supera Campinas e Guarulhos, além das capitais Salvador (BA) e Fortaleza (CE). A informação é do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que divulgou os dados e resultados da pesquisa “PIB dos Municípios 2013” (http://goo.gl/VZPstJ) nesta sexta-feira (18/12).

O prefeito de Osasco, Jorge Lapas, comentou a pesquisa. “Tenho certeza que nosso esforço no sentido de promover o desenvolvimento econômico de Osasco tem contribuído para esse resultado. Nossa administração trabalha firme para transformar Osasco em uma cidade ainda mais forte e competitiva, fazendo com que sua força econômica coloque-a em projeção nacional”, comemorou.

O PIB representa a soma de todos os bens e serviços produzidos por uma cidade. A pesquisa foi aplicada em parceria com os órgãos estaduais de estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus. De acordo com o resultado, Osasco contribui com 1,04 % do total do PIB do País e está no grupo das oito cidades do Estado de São Paulo que se destacaram na geração de riqueza no Brasil: cada uma teve participação, em 2013, de mais de 0,5% do PIB do país. Segundo o IBGE, esse grupo tem "grande integração entre indústria e serviços". Dessas cidades, Osasco e Campinas estão no topo do ranking, ambas gerando 1% do valor adicionado em 2013. Guarulhos e São Bernardo do Campo ficaram logo atrás, com participação de 0,9%. Depois vêm Barueri (0,8%), Jundiaí (0,7%), São José dos Campos (0,5%) e Sorocaba (0,5%).

O Produto Interno Bruto registrado de Osasco é de R$ 55.515.707. A cidade demonstrou desenvolvimento importante na área de serviços. Segundo as informações oficiais, 71,7% do valor adicionado do PIB de Osasco, ou seja, R$ 39.807.000, são referentes à geração de riquezas na cidade.

Em 2013, sete municípios (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Manaus e Campos dos Goytacazes) concentravam cerca de um quarto do PIB do país. Já as 27 capitais, somadas, representavam 32,8% da economia brasileira. De 2010 a 2013, período de análise da pesquisa, não ocorreu alteração significativa entre os municípios com maior participação no PIB. O PIB per capita do país, em 2013, foi R$ 26.444.

domingo, 13 de dezembro de 2015

Polícia Militar forma 119 aspirantes a oficiais

Futuros tenentes de 2ª classe concluíram curso de bacharelado e receberam neste sábado a espada símbolo do oficialato policial militar

O governador Geraldo Alckmin e o secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, participaram neste sábado (12) da formatura de 119 aspirantes a oficiais da Polícia Militar no curso de bacharelado de Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública.

“Vocês passaram no vestibular mais difícil do Brasil, com 11.000 candidatos para 121 vagas. Isso é fruto do estudo, capacidade e da competência de cada um”, disse o governador. “Vocês escolheram como profissão um dos maiores desafios do mundo moderno, a Segurança Pública. Poucas atividades humanas requerem uma multiplicidade de conhecimento, virtudes e atribuições como essa”, completou.

Os aprovados em concurso público, iniciaram o curso em 5 de fevereiro de 2013 e terminaram as cerca de 5.500 horas de aulas no último dia 12 de novembro.

“Eu tenho absoluta certeza que hoje a Polícia Militar está maior, com o reforço de cada um dos 119 que aqui estão, a PM começará o ano de 2016 mais forte e unida, para que nós possamos continuar a dar à sociedade paulista a proteção e a segurança que ela merece”, afirmou o secretário.

Durante a formação, que é reconhecida como graduação, foram aplicadas disciplinas como Polícia Comunitária, Direitos Humanos, Inteligência Policial, Noções de Polícia Científica, entre outras.

“Há três anos atrás vocês ingressaram em um concorrido concurso que exigiu preparo e estudo, após isso durante esses anos vocês tiveram a honra de serem formados pela melhor academia de polícia do Brasil”, enfatizou Moraes. “Vocês passaram por cada um dos instrutores, professores e oficiais, aprenderam o que é a Polícia Militar do Estado de São Paulo, como atua, as tradições, as estratégias, as táticas, as competências e a lealdade”, concluiu.

O curso para os futuros oficiais tem o objetivo de capacitar os agentes para o exercício de comando e gestão das atividades de polícia ostensiva, preservação da ordem pública, defesa civil e territorial.

“Este é um momento de enorme importância na vida de cada um dos senhores. Após serem aprovados em um dos mais disputados e difíceis concursos públicos do país, passaram por toda sorte de testes e desafios durante os três anos em que aqui permaneceram estudando e se aperfeiçoando”, disse o presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), Fernando Capez. “Lutem, façam com que esse momento de glória seja sempre preservado, parabéns por esse grande dia”.

Sobre a turma

O patrono da turma é o general Júlio Marcondes Salgado, membro da Força Pública que morreu durante a Revolução Constitucionalista de 1932. O atual comandante da PM, coronel Ricardo Gambaroni, é o paraninfo.

“Este seleto grupo de formandos está agora plenamente capacitados para exercer as mais diversas funções. Em nossa profissão vocês podem ter certeza que há inúmeros desafios de grande magnitude a espera de líderes que tenham competência e disposição de subjugá-los”, afirmou Gambaroni. “A missão não será fácil, podem ter certeza, vocês talvez sejam excessivamente cobrados, incompreendidos e poucas vezes reconhecidos. Porém, jamais esqueçam de aplicar os ensinamentos que aprenderam aqui”, finalizou.

As maiores notas do curso de formação foram atingidas pelos então cadetes Antônio Barbosa dos Santos Junior (nota 9,72), Fábio Henrique de Moraes Porto (9,62) e Willer Cintra Pontes (9,61).

Espadas

Durante a formatura, os cadetes deixaram seus espadins de lado e receberam a espada, símbolo do oficialato da Polícia Militar. A arma acompanhará os aspirantes em um estágio de seis meses.

Nesse período, os futuros oficiais acompanharão unidades de patrulhamentos de diversas regiões do Estado de São Paulo e, após esse estágio, serão promovidos à patente de tenente de 2ª classe.

Atualmente, a remuneração dos aspirantes a oficiais da Polícia Militar é de R$ 6.037,35, considerando adicional de insalubridade. Com a promoção, há um aumento de 5,24%, elevando os vencimentos a 6.353,79.

Investimento em efetivo


De 2011 até a cerimônia deste sábado, a Academia do Barro Branco formou 630 aspirantes a oficiais da Polícia Militar. A última entrega de espadas aconteceu em 15 de novembro de 2014, com 133 aspirantes.

Além disso, está em andamento um concurso para a contratação de mais 240 alunos-oficiais (também chamados de cadetes). Esse processo seletivo está na fase de exames psicológicos. Depois, haverá classificação, nomeação e posse.

Ao todo, o Estado tem 5.537 vagas abertas para as três polícias, sendo 2.240 para a Militar, 2.301 para a Civil e 996 para Técnico-Científica. Desde 2011, 22.218 policiais foram contratados pelo governo, sendo 18.838 militares, 2.960 civis e 420 técnico-científicos.

sábado, 5 de dezembro de 2015

SP premia melhores ações inclusivas para pessoa com Deficiência

Promovido pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoas com Deficiência, cerimônia do 5° Prêmio Ações Inclusivas acontece dia 3 de dezembro, às 15h

No dia 3 de dezembro, às 15h, acontecerá a cerimônia de premiação da quinta edição do Prêmio Ações Inclusivas para Pessoas com Deficiência. Realizada pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a iniciativa tem o objetivo de estimular a implantação de ações inclusivas de órgãos governamentais e não-governamentais, além de identificar e reconhecer as já existentes. Entre as 100 ações inscritas, as 10 melhores práticas receberão certificado de participação e placa de Menção Honrosa, sendo que as duas melhores, uma governamental e uma não-governamental, serão premiadas com troféu na sede da Secretaria, localizada na Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Portão 10.

A quinta edição do Prêmio Ações Inclusivas para Pessoas com Deficiência recebeu inscrições de representantes da gestão pública e de instituições não governamentais sem fins lucrativos. As 10 melhores iniciativas terão suas práticas divulgadas no site do prêmio (http://premio.sedpcd.sp.gov.br/) e em publicação entregue na cerimônia.

O Brasil tem hoje mais de 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência. Somente no Estado de São Paulo, esse número ultrapassa 9 milhões. Para a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, o prêmio tem o intuito de potencializar a questão da inclusão. “As políticas de inclusão devem ser reconhecidas e incentivadas. Em todo o Estado, os municípios vêm promovendo importantes progressos relativos às pessoas com deficiência. O Prêmio é um instrumento para difundir e multiplicar esses trabalhos tão importantes”, afirma a secretária.

Depredação de escola em Osasco custará mais de R$ 250 mil aos cofres públicos

Equipe de profissionais da Secretaria da Educação está trabalhando para retomada das aulas na sexta-feira

Os 530 alunos da Escola Estadual Coronel Antônio Paiva de Sampaio, depredada em Osasco no início da semana, poderão retomar os estudos a partir da próxima sexta-feira. A unidade, que atende aos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio em dois turnos, foi completamente vandalizada. Equipes da Secretaria da Educação trabalharam intensamente no local para o pronto restabelecimento da rotina escolar. A Polícia investiga a autoria do ato.

A Secretaria de Educação ainda calcula os prejuízos, que até o momento já chegam a R$ 250 mil. O telhado da escola foi destruído, todas as portas arrombadas, dezenas de vidros e lâmpadas quebrados, além de impressoras e micro-ondas, que foram danificados. As nove salas de aula foram depredadas e os documentos da secretaria escolar foram rasgados e espalhados por diversos ambientes.

Além da destruição, houve furto. Televisores, utensílios de cozinha, tablets e até parte dos produtos da merenda escolar foram levados da escola. Os portões da unidade também ficaram destruídos. Dezenas de computadores foram quebrados, impressoras e toda a rede lógica da sala do programa Acessa Escola também foi afetada.

A unidade, que estava ocupada por manifestantes há 15 dias, foi liberada na última segunda-feira, dia 30, após atearem fogo na biblioteca e destruírem todo o acervo de livros, além dos materiais didáticos. A Secretaria de Educação permanece dialogando com estudantes a fim de obter a liberação das unidades de ensino e concluir o conteúdo do calendário oficial de aulas.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

CONCLAVE PELA DEMOCRACIA APONTA FRAUDES NAS URNAS ELETRÔNICAS

Hugo Hoechl no Conclave pela democracia - Foto: Claudia Souza
O Comitê organizador do Conclave pela Democracia acaba de divulgar o balanço técnico do evento que ocorreu em São Paulo, no último dia 28. A principal conclusão desse documento é que a eleição eletrônica de 2014 foi reprovada nos testes de consistência probabilística. Essa inconsistência técnica repercute também em aspectos jurídicos e históricos. "Esse estudo técnico foi ainda publicado na revista da IPA, a Associação Policial Internacional, o mesmo local onde iniciaram os questionamentos sobre a FIFA, os quais, mais tarde, acabaram dando origem à operação internacional que culminou na prisão de vários dirigentes, incluindo o então presidente da CBF", destaca a advogada Tânia Cristina Bueno, doutora em Inteligência Aplicada e uma das coodenadoras técnicas do Conclave, ao garantir a originalidade e confiabilidade do documento.

No painel "O DNA da fraude", foram apresentadas as planilhas de dados e as análises estatísticas dos números eleitorais de 2014. Quando analisados pelos mesmos critérios utilizados em investigações internacionais de fraudes (como o caso FIFA e o caso ENRON), os dados eleitorais brasileiros apresentam muitas vulnerabilidades, com a probabilidade de 73,14% de exposição a fraudes, o que significa potencial suficiente para alteração dos resultados no 1º e no 2º turnos da eleição presidencial de 2014. "Isso acontece porque os dados eleitorais originários (votos) não podem ser auditados, restando somente a possibilidade de auditar estatisticamente os resultados agrupados, a partir dos boletins de urna e dos mapas eleitorais", aponta Hugo Hoeschl, pós-doutor em Governo Eletrônico e ex-presidente da Associação Brasileira de Empresas Estaduais de Tecnologia da Informação. Nesse caso, o grau de confiabilidade da eleição eletrônica brasileira é de apenas 26,85%. Destaca-se que o mesmo estudo foi feito sobre os dados da eleição de 2010, e o resultado foi considerado dentro da normalidade, ao contrário de 2014, considerado inconsistente.

Outro critério utilizado no estudo eleitoral é a contabilização comparativa de algarismos em grandes séries históricas, e casos nos quais existem muitos algarismos "9" próximos de grandes números redondos (por exemplo, alguém lança números como 9.999 para evitar chegar em 10.000, o que muda a proporcionalidade natural). Nos ambientes internacionais, isso é considerado um forte indício de fraude quando ocorrem muitas repetições, e esse foi um dos métodos de investigação utilizado no Brasil no famoso caso "Maluf", onde foram descobertas diversas fraudes contábeis. Por essa razão, o estudo eleitoral já havia sido publicado, em sua fase embrionária, também na revista Justiça Fiscal, editada pelos procuradores que investigam sonegação e lavagem de dinheiro.

Um comparativo de logicidade apresentado no evento diz respeito ao sequenciamento numérico, e que já havia sido apresentado perante o congresso Jurix 2014. É aquilo que se chama de "A forca de números", uma metáfora sobre o antigo jogo de "forca", onde o jogador tem que adivinhar as letras de uma palavra. A boa estratégia do jogo de "forca" diz para iniciar o jogo pela letra "A", que é a letra que mais aparece nas palavras. No mundo das probabilidades numéricas, a letra "A" equivale ao número "1" (algarismo), e nesse caso, a eleição brasileira, segundo os estudos apresentados, equivale a um texto que tem mais letras "W" e "X" do que "A" e "B". No cenário internacional, isso também é considerado um forte indício de fraude.

De acordo com Dalmo Accorsini, documentarista brasileiro radicado nos EUA, o evento "aglutinou as melhores mentes brasileiras no espaço extrapartidário e atingiu plenamente os seus objetivos de conectar massa crítica de alto nível sobre a democracia no Brasil e na América Latina".

O Conclave pela Democracia foi uma realização conjunta do IID, que tem base nos Estados Unidos, e do Instituto i3G. O IID é um instituto de pesquisa e mobilização baseado em Miami/EUA, fundado por exilados políticos da Venezuela, Cuba e Bolívia. Dentre suas preocupações, estão a defesa de valores como liberdade, democracia e a instituições, através da promoção de debates, estudos acadêmicos e eventos.

Maiores detalhes sobre o relatório técnico e os dados estatísticos:
https://pt.scribd.com/doc/282755598/Evidencias-de-inconformidades-formais-nos-dados-da-apuracao-da-eleicao-eletronica-brasileira-de-2014#scribd

CONTATO PARA ENTREVISTAS OU PARA MAIS DETALHES SOBRE OS RESULTADOS DO EVENTO:
Hugo Hoeschl = Telefone +55 48 8834 0682 ou e-mail hugo.hoeschl@gmail.com

Fonte: http://exame.abril.com.br/negocios/dino/noticias/conclave-pela-democracia-aponta-vulnerabilidade-no-processo-eleitoral-brasileiro.shtml?fullsite=true

terça-feira, 24 de novembro de 2015

O Governo do Estado investiu R$ 6.716.000 na aquisição das motocicletas que foram destinadas à Capital



O governador Geraldo Alckmin e o secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, entregaram 184 novas motocicletas para a Polícia Militar. O evento ocorreu nesta segunda-feira (23), no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, zona sul da Capital. O Estado investiu mais de R$ 6,7 milhões na aquisição das motos.

"Desde o início da gestão temos apostado em policiamento ágil. No trânsito das grandes cidades, a patrulha é mais eficiente por meio de motos, que conseguem se deslocar com maior velocidade", ressaltou Moraes. "Esse tipo de patrulhamento, mais dinâmico, auxilia no combate ao crime".

As motocicletas do modelo Yamaha 660cc custaram R$ 36.500, cada. Os veículos foram distribuídos a batalhões da PM da cidade de São Paulo.

Do total de motos, 18 serão enviadas ao Comando de Policiamento de Área Metropolitana 1 (CPA/M-1), no centro da Capital; 81 para o Comando de Policiamento de Choque (CPChq); e 85 para o Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran).

“O policial que trabalha com a motocicleta possui um treinamento diferenciado. Além de se preocupar com o patrulhamento, ele controla a moto no meio do trânsito e até auxilia, com um rádio próximo ao capacete, outros PMs que estejam na região", destacou Alckmin.

Desde 2011, incluindo a entrega de hoje, a Polícia Militar recebeu 9.739 novas viaturas que foram enviadas a todas as regiões do Estado a um custo de aproximadamente R$ 560,7 milhões. Somente a Capital ganhou 3.208 veículos do total.

Reforço de efetivo

"Além de investimento em material, também investimos em pessoal. Na última quarta-feira (18), formamos 2.815 novos soldados, que já estão nas ruas protegendo a população", lembrou o governador. No dia seguinte (19), outros 2.215 futuros soldados foram nomeados.

Somente neste ano, foram contratados 5.429 novos policiais militares. Além disso, estão em andamento concursos públicos que irão selecionar mais 2.240 candidatos a PMs – serão 2 mil soldados e 240 alunos-oficiais para a Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB).

Também já estão em curso de formação nas academias da PM outros 2.841 futuros soldados e 571 futuros oficiais.

domingo, 1 de novembro de 2015

Juros mais altos para crédito consignado: quais os cuidados?

Dia 29 foi aprovado aumento das taxas de juros do crédito consignado de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em relação ao empréstimo pessoal, passou de 2,14% ao mês para 2,34%; para empréstimos feitos pelo cartão de crédito, a taxa foi de 3,06% para 3,36% ao mês.

Se somarmos isso ao fato de que, recentemente, o governo também anunciou um aumento do limite do crédito consignado de 30% para 35% (esses 5% destinados a pagamento de dívidas com cartão de crédito), pode-se prever um grande risco às finanças dessa parcela da população. Além de poder comprometer uma porcentagem ainda maior do salário, os juros serão mais altos.

Hoje o número de colaboradores de empresas, aposentados e pensionistas que pedem empréstimos com desconto em folha de pagamento, o chamado “crédito consignado”, cresce consideravelmente, contudo, o que era para ser um benefício, está crescendo de forma desordenada e se tornando uma das principais formas de endividamento da população.

O resultado é que os brasileiros estão batendo recordes de inadimplência, por isso, todo cuidado é pouco! É importante que as pessoas tenham consciência na hora de utilizar essa linha de crédito. Pensando nisso, preparei dez orientações que devem ser levadas em conta:

1. Antes de tomar qualquer crédito, é importante conhecer a sua real situação financeira, ou seja, fazer um diagnóstico financeiro, descobrindo para onde vai cada centavo do seu dinheiro durante o mês, registrando também as dívidas, caso existam;
2. É muito importante não permitir que este empréstimo e que os problemas financeiros reflitam em seu desempenho profissional, pois, será muito mais complicado pagar as contas sem nenhum salário;
3. Antes de buscar pelo crédito consignado, é importante tomar consciência que o custo de vida deverá ser reduzido em até 35%, isto porque a prestação deste será retirada diretamente de seu salário ou benefício de aposentadoria;
4. É muito comum a utilização do crédito consignado para quitação de cheque especial, cartão de crédito e financeiras. Isso é recomendável, porém, a troca simplesmente de um credor por outro, sem descobrir a causa do verdadeiro problema, apenas alimentará o ciclo do endividamento;
5. A linha de crédito consignado, sem dúvida, se bem utilizada, é importante, porém, não pode fazer parte da rotina de um assalariado ou aposentado, visto que sua utilização deve ser pontual para um objetivo relevante;
6. Tem sido comum o empréstimo do nome a terceiros por parte de aposentados e até mesmo funcionários, mas este procedimento é prejudicial a todos, por isso, não deve ser feito;
7. Caso encontre taxas de juros mais baixas, a portabilidade também deste crédito é necessária. Para os funcionários, o caminho será falar com a área de Recursos Humanos; para os aposentados, as possibilidades são inúmeras, é preciso pesquisar;
8. Alerto: mesmo com taxas baixas, a cada ano, os juros representam um quarto do valor total emprestado. Exemplo: para R$ 1.000,00 emprestados, é pago R$ 250,00 de juros por ano;
9. Recomendo para quem quer tomar o crédito consignado que, antes mesmo de assinar o contrato com a instituição financeira, faça uma boa reflexão e analise se este valor, que será descontado diretamente no salário ou benefício, não fará falta para os compromissos essenciais mensais;
10. Para concluir, o mesmo pode, sem dúvida, ser um grande aliado e não há problema se usado como estratégia para sair de linhas de créditos com juros mais altos, para adquirir algo de grande importância ou ainda em uma emergência. Porém, se apenas utilizá-lo de forma não consciente, pode se tornar mais um grande vilão em sua vida.

Reinaldo Domingos, educador financeiro, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira e autor do best-seller Terapia Financeira, do lançamento Mesada não é só dinheiro, e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil.

Copyright © 2015 DSOP Educação Financeira, All rights reserved.
Você está recebendo este email por ser um contato da DSOP.





quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Piá retoma produção de manteiga e lança opção econômica de iogurte grego

Depois de quase 15 anos, a Cooperativa Piá está retomando a produção de manteiga. Na primeira semana de novembro começam a ser fabricados os primeiros potes com manteiga de primeira qualidade, com 200 gramas, nas opções com e sem sal. A expectativa é de uma comercialização de 300 mil potes por mês, estima a Piá.

Também em novembro, a Piá lança uma embalagem econômica de seu iogurte grego, Yos. Será uma bandeja com seis copos de 90 gramas cada um, e que chegará ao mercado nos sabores Morango e Tradicional.

Fundada em 29 de outubro de 1967, Cooperativa Piá nasceu movida pelo espírito de união de seus integrantes. Presidida pelo médico veterinário Gilberto Kny, junto com os colegas da diretoria, Nilson José Olbermann e Jeferson Adonias Smaniotto, e conselheiros administrativos e fiscal, tem obtido a cada ano números expressivos. Atualmente, possui 1,4 mil colaboradores e 20 mil associados, sendo 3 mil produtores de leite e 385 produtores de frutas, que fornecem matéria-prima de forma quase diária.

Gera, cerca de, 10 mil empregos indiretos. Com equipamentos modernos, processa 550 mil litros de leite por dia e produz quatro mil toneladas de polpas de frutas. Além da indústria de laticínios e da indústria de processamento de frutas, conta ainda com duas fábricas de rações e uma rede de supermercados e agropecuárias com 17 lojas. Na ponta final, são quatro milhões de consumidores em quatro estados brasileiros que compram os mais de 265 produtos da empresa de Nova Petrópolis, em 15 mil pontos de vendas.




Tribulus Terrestre e Maca Peruana - Sabor Limão - Nutry Power

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Banco Central já foi até onde podia com taxa de juros, afirma FecomercioSP

Para Entidade, novas altas da Selic a partir de agora apenas agravariam situação fiscal


São Paulo, 21 de outubro de 2015 - Pela segunda vez consecutiva, o Banco Central decidiu manter a taxa básica de juros no atual patamar - de 14,25% ao ano. Na avaliação da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), devem ter colaborado para a decisão o rápido aumento do desemprego e a retração acentuada da atividade econômica - a queda esperada para o PIB de 2015 já é de 3%.

Mesmo com a inflação ainda elevada - quase 10% em 12 meses -, a pressão recente exercida pela alta do dólar e a deterioração das expectativas para a inflação do ano que vem - que já se aproximam do teto da meta -, na balança do Banco Central prevaleceu o bom senso. Afinal, diante de uma queda cada vez mais intensa da atividade econômica e da deterioração acelerada do mercado de trabalho, novas altas da taxa Selic tenderiam apenas a agravar o cenário econômico ao encarecer o crédito para endividados e aumentar ainda mais o custo da dívida pública e, consequentemente, o esforço fiscal necessário para estabilizá-la.

Para a FecomercioSP, a autoridade monetária já foi até onde podia com o seu principal instrumento: a taxa de juros. Sem a colaboração da política fiscal, a política monetária tende a perder sua eficácia e o País corre o risco de ter de conviver com estagnação da economia, juros altos e inflação elevada, combinação perversa que prejudica especialmente a população mais pobre e o setor produtivo, e coloca em risco as conquistas sociais obtidas na última década.

Apesar do agravamento da crise, o governo ainda não conseguiu, porém, articular e apresentar um plano consistente de ajuste das contas públicas. É hora de assumir equívocos passados e aceitar os custos políticos de reformas urgentes, sem apelar para novos aumentos de impostos - que resultariam apenas em recessão e inflação, sem garantia de aumento da arrecadação. O cenário é grave e a Entidade volta a ressaltar que o desequilíbrio econômico é estrutural, e que só será possível restabelecer a confiança dos agentes econômicos com a retomada de uma agenda de reformas de longo prazo que envolvam forte redução dos gastos públicos, da burocracia e melhora do ambiente de negócios.

Sobre a FecomercioSP

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 156 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por 11% do PIB paulista - aproximadamente 4% do PIB brasileiro - e gera cerca de cinco milhões de empregos.


segunda-feira, 19 de outubro de 2015

SUS vai ampliar apoio a vítimas de violência sexual

As unidades hospitalares do Sistema Único de Saúde (SUS) já estão se preparando para realizar a coleta de informações e de vestígios de vítimas de violência sexual. Isso será possível porque o Ministério da Saúde publicou portaria que estabelece os critérios de habilitação de serviços da rede pública para darem suporte às vitimas desse tipo de violência.

As unidades habilitadas poderão realizar o registro de informações em ficha de atendimento multiprofissional até a coleta e armazenamento provisório do material para possíveis encaminhamentos legais. A medida reduz a exposição da pessoa que sofreu a violência, evitando que as vítimas sejam submetidas a vários procedimentos.

A novas regras foram definidas pela Portaria nº 1.662, que integra as ações do Programa Mulher: Viver sem Violência, criado este ano por meio de portaria interministerial assinada pelos ministérios da Saúde, da Justiça e pela Secretaria de Políticas para as Mulheres. O programa estabelece novas diretrizes para organização e a integração do atendimento às vítimas de violência sexual pelos profissionais de segurança pública e de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os exames serão feitos em estabelecimentos hospitalares classificados como serviços de Referência para Atenção Integral às Pessoas em Situação de Violência Sexual, que contarão com equipes compostas por enfermeiros, médicos clínicos e especialistas em cirurgias, psicólogo clínico, hospitalar, social e do trabalho, assistentes sociais e farmacêuticos. Os profissionais serão capacitados para atender vítimas de agressão sexual por meio de força física (estupro), abuso sexual e casos relacionados a abuso sexual envolvendo crianças, dentro ou fora de casa.

A capacitação desses profissionais começou em 2014. Até o momento, o Ministério da Saúde já investiu R$ 1,5 milhão para qualificar equipes especializadas nas áreas de saúde e segurança pública. Cerca de 300 profissionais de 52 hospitais já foram capacitados para a realização da coleta de vestígios pelo SUS e apenas os serviços capacitados poderão ser habilitados para a realização de tal procedimento.

Os atendimentos ocorrerão 24 horas por dia, sete dias por semana, em locais específicos e reservados para acolhimento, registro de informações e coleta de vestígios e a guarda provisória de vestígios. O objetivo é tornar o atendimento mais humanizado e eficaz, evitando, assim, a revitimização e reduzindo a exposição da pessoa que sofreu a violência, além de oferecer às autoridades policiais elementos que identifiquem os autores da violência e comprovem o ato.

Combate à impunidade

O registro de informações e a coleta de vestígios no momento do atendimento em um dos estabelecimentos de saúde habilitados para essa finalidade contribuem para o combate à impunidade, considerando a sua realização nas primeiras horas após a violência.

No entanto, é importante reforçar que os serviços de saúde não substituem as funções e atribuições da segurança pública, como a medicina legal, uma vez que ambos vão atuar de forma complementar e integrada, conforme a Portaria Interministerial n° 288, de 25 de março 2015, que estabelece “orientações para a organização e integração do atendimento às vítimas de violência sexual pelos profissionais de segurança pública e pelos profissionais de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto à humanização do atendimento e ao registro de informações e coleta de vestígios”.

A implementação dessa ação possibilitará aos profissionais do SUS a realização do exame físico, a descrição das lesões, o registro de informações e a coleta de vestígios que serão encaminhados, quando requisitados, à autoridade policial. Isto permite que as informações e vestígios da violência estejam devidamente registrados, armazenados e tornem-se disponíveis para os sistemas de segurança pública e de Justiça nas situações em que a pessoa em situação de violência decidir registrar posteriormente a ocorrência.

A coleta de vestígios (secreção vaginal, anal, sêmen, fluidos depositados na pele ou outras regiões do corpo) é extremamente importante para a identificação do agressor. Esta coleta no corpo da vítima deve ser realizada o mais rapidamente possível a partir do momento da agressão sexual, uma vez que a possibilidade de se coletar vestígios biológicos em quantidade e qualidade suficientes diminui com o passar do tempo, reduzindo significativamente após 72 horas.

Serviços

Atualmente, 543 serviços de atenção às pessoas em situação de violência sexual no Brasil constam no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). Desses, 165 são Serviços de referência para atenção integral às pessoas em situação de violência sexual que ofertam atendimento de forma ininterrupta (24h/dia), contam com equipe multiprofissional.

Além dos serviços de referência, existem 371 serviços com atenção ambulatorial às pessoas em situação de violência sexual no CNES que integram as redes e promovem acolhimento, atendimento multiprofissional e encaminhamentos necessários, de modo a promover a integralidade da atenção a esse público.


terça-feira, 29 de setembro de 2015

Mitos populares sobre a cólica e menstruação

Chocolate ajuda na TPM? E andar descalça naqueles dias, pode?
 Marca esclarece dúvidas comuns das mulheres

Desde a adolescência, as mulheres começam a ouvir mitos e lendas sobre as cólicas menstruais que, muitas vezes, trazem desconfiança e geram ainda mais questões sobre o assunto. Logo na primeira menstruação, as dúvidas são inúmeras e seguidas por conselhos maternos ou simpatias infalíveis da avó. Pensando nisso, Atroveran esclarece alguns mitos populares sobre a temida cólica e outras questões do período menstrual. Confira abaixo:

Andar descalço quando está menstruada piora a cólica? E lavar os cabelos?

MITO! Ficar descalço ou lavar os cabelos não gera e nem piora a cólica. Essa crença surgiu da ideia de que o chão frio poderia influenciar na cólica, mas não existe nenhuma relação que comprove essa teoria.

É normal ter cólicas durante a menstruação?

VERDADE! É normal! Para que o incômodo nem comece, Atroveran recomenda tomar dois comprimidos logo nos primeiros sintomas!

Apenas atenção quando a cólica for extremamente forte. Quando isso acontece, o melhor a fazer é procurar um médico, pois algum tipo de doença pode ser a causadora dessa cólica.

Exercício físico durante a menstruação faz mal?

MITO! Praticar atividades físicas sempre é muito saudável. Exercícios regulares podem até diminuir o impacto de cólicas e da TPM, mas não vale fazer atividades com dores ou quando não está se sentindo bem.

Bolsas de água quente ajudam a aliviar a dor?

VERDADE! O calor da compressa quente faz os vasos sanguíneos dilatarem, aumentando o fluxo de sangue na região. Isso leva embora de forma mais rápida as substâncias que causam contrações e que ficam concentradas no local da dor.

A menstruação pausa enquanto você está dentro da água?

MITO! Muitas mulheres possuem essa sensação. Às vezes, o fluxo pode diminuir, mas não cessa totalmente.

Boa alimentação pode ajudar a aliviar a cólica?

VERDADE! Apostar em peixes e legumes como salmão e brócolis é uma boa alternativa, pois eles contêm ômega-3, substância com ação anti-inflamatória que auxilia a amenizar a cólica.

TPM é frescura!

MITO! A variação de humor no período pré-menstrual não é frescura. Muitas mulheres tendem a ficar mais sensíveis, tristes ou com baixa autoestima.

Chocolate ajuda na TPM!

VERDADE! O chocolate libera serotonina, conhecido como o “hormônio da felicidade” e, com isso, a sensação de prazer e satisfação é maior.

É possível engravidar mesmo estando menstruada?

VERDADE! A mulher pode ovular em situações de muita emoção ou estresse devido ao desequilíbrio dos hormônios. Por isso, é importante usar anticoncepcional e camisinha.

Para saber mais sobre o assunto, Atroveran preparou um divertido vídeo estrelado por Grazi Massafera, garota-propaganda da marca, e sua amiga Ana Lima. No filme, as atrizes usam uma linguagem simples e divertida para esclarecer algumas dúvidas que muitas mulheres possuem sobre o período menstrual.

Confira o vídeo Mitos e Verdades de Atroveran:https://www.facebook.com/Atroveran/videos/vb.185068478284429/455035617954379/?type=2&theater


A marca conta com três outros vídeos em sua fanpage com a participação da atriz. As peças fazem parte da estratégia de web da campanha de Atroveran, que conta ainda com comercial para TV, spots de rádios e anúncios impressos.

Atroveran proporciona alívio das cólicas, indisposições e mal-estar. Além da tradicional versão em gotas de 30 ml, o medicamento também pode ser encontrado em comprimidos.Isento de prescrição médica, Atroveran pode ser adquirido diretamente nas farmácias por todo Brasil. É importante ler atentamente à bula e consultar um médico caso os sintomas persistam.

Acompanhe as novidades da marca no site e na fanpage oficial: www.atroveran.com.br e https://www.facebook.com/atroveran.

Cloridrato de papaverina + ASSOCIAÇÃO. MS 1.7817.0042.
Indicações: analgésico e antiespasmódico. SETEMBRO/2015.
SE PERSISTIREM OS SINTOMAS O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.



terça-feira, 22 de setembro de 2015

Saúde destina R$ 96 milhões para estados e municípios

Recurso deverá ser utilizado na habilitação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e centros de trauma, entre outros serviços, em 20 estados do país


O Ministério da Saúde destinou R$ 96 milhões para custeio das ações da área de Média e Alta Complexidade (MAC) de 20 estados. O objetivo do reforço orçamentário é ampliar o atendimento prestado à população na rede pública e conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS). As ações do bloco de financiamento MAC incluem à ampliação e melhoria da Rede Cegonha, Rede de Urgência e Emergência, possibilitando a habilitação de novos serviços como leitos de UTI Adulto, Pediátrico e Neonatal, e Centros de Trauma.

As portarias que estabelecem os novos recursos foram publicadas na segunda-feira (21), no Diário Oficial da União (D.O.U).

Os valores incluem a expansão da rede de atendimento nas regiões beneficiadas, com a habilitação de Leitos de UTI Adulto, Pediátrico, Neonatal, Unidades de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UCINCa), Unidades de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo), Unidades de Terapia Intensiva Coronariana (UCO), Unidades de Cuidados Prolongados (UCP) e Unidades de Cuidado aos Pacientes com Acidente Vascular Cerebral (U-AVC), além de Leitos Clínicos de Retaguarda no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

Dentro do Plano de Expansão da Rede de Urgências e Emergências, o município de Patos de Minas (MG) foi contemplado com o montante de R$ 3 milhões por ano (R$ 250 mil/mês) para a qualificação de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h). No município de São Luís, no Maranhão, o Hospital Dr. Carlos Macieira passa a ser habilitado em Serviços de Nefrologia e receberá o valor de R$ 3,1 milhões por ano, em forma de custeio, para manutenção do novo serviço. A verba será paga mensalmente, na ordem de R$ 262 mil, por meio do Fundo Estadual de Saúde.

Os vinte estados contemplados foram: Rio Grande do Norte (Natal / Parnamirim / Pau dos Ferros), João Pessoa, Paraíba, Pará (Capanema), Rondônia (Porto Velho), São Paulo (São Paulo / São José do Rio Preto / Marília / Campinas / Assis), Goiás (Goiânia), Acre, Pernambuco (Recife), Espírito Santo (Cachoeiro de Itapemirim), Santa Catarina (Rio do Sul / Blumenau / Jaraguá do Sul / Caçador), Paraná (Londrina / São José dos Pinhais / Ivaiporã / Campina Grande do Sul / Francisco Beltrão), Minas Gerais (Minas Gerais / Manhuaçu / Patos de Minas / Três Corações / Ouro Preto), Aracajú (Sergipe), Bahia (Salvador), Goiás (Goiânia), Maranhão (São Luís), Alagoas, Piauí (Parnaíba / Teresina / Floriano) e Tocantins.

Centros de Trauma – Parte das portarias publicadas destinam R$ 6,8 milhões para habilitar oito centros de trauma, nos estados do Paraná (Hospital e Maternidade Ivaiporã / Hospital e Maternidade Municipal de São José dos Pinhais / Hospitalar Angelina Caron), Minas Gerais (Casa de Caridade de Carangola / Hospital São Sebastião / Hospital Cesar Leite) e São Paulo (Hospital de Base de São José do Rio Preto). Os centros de trauma são estabelecimentos de saúde integrantes da Linha de Cuidado ao Trauma da Rede de Atenção às Urgências e Emergências que desempenham o papel de referência especializada para atendimento aos pacientes vítimas de trauma.

Rede Cegonha – Para o programa Rede Cegonha, do Ministério da Saúde, serão destinados R$ 6,3 milhões para reforçar a assistência integral, especializada e gratuita à saúde das mulheres (antes, durante e após a gestação) e das crianças recém-nascidas. Por meio desta estratégia, o governo federal tem incentivado, por exemplo, o parto normal humanizado. Entre as ações adotadas pela pasta está a implantação de Centros de Parto Normal, onde a mulher é acompanhada por uma enfermeira obstetra ou obstetriz, em um ambiente devidamente preparado para que possa se movimentar livremente e ter acesso a métodos não farmacológicos de alívio da dor.

O Ministério da Saúde também está desenvolvendo uma série de ações voltadas para a formação e capacitação de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiras obstétricas e obstetrizes.

As secretarias de saúde dos estados e municípios também estão contando com apoio do Ministério da Saúde para reorganizarem a rede de assistência, tanto no sentido técnico quanto no financiamento, criando estratégias e políticas de atendimento mais eficientes e ampliando leitos nas áreas de maior necessidade, como os leitos de UTI Neonatal, definindo assim diretrizes e objetivos para a organização da atenção integral e humanizada ao recém-nascido grave ou potencialmente grave.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Brasil já pode exportar sêmen e embriões bovinos para a República Dominicana

Memorando de entendimento entre os dois países permite o embarque desse material genético para aquele mercado do Caribe

O Brasil abriu mais um mercado para a exportação de sêmen e embriões bovinos. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) assinou memorando de entendimento com o Ministério da Agricultura da República Dominicana para exportar esses materiais genéticos.

“Por meio do acordo, o Mapa se compromete a assegurar as garantias sanitárias e a cumprir os requisitos estabelecidos para exportação de sêmen e embriões de bovinos à República Dominicana”, diz a diretora substituta do Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do Mapa, Valéria Burmeister Martins.

A partir do acordo, apenas o sêmen e os embriões obtidos em centros de coleta e processamento registrados no Mapa poderão ser exportados à República Dominicana. O material genético destinado àquele mercado do Caribe deverá ser obtido de animais nascidos e criados no Brasil.

O memorando de entendimento entre o Brasil e a República Dominicana – países membros da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) – foi assinado no início deste mês.

Nos últimos 14 anos, as exportações brasileiras de sêmen bovino para o mercado mundial tiveram expressivo crescimento. Em 2000, os embarques desses materiais genéticos somavam cerca de US$ 88,5 mil. Em 2014, saltaram para quase US$ 1,4 milhão. Os países que mais importaram esses produtos do Brasil no ano passado foram a Colômbia (44%) e o Paraguai (33%).

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Construtoras reforçam financiamento próprio para atrair consumidores

Com a restrição de crédito pelos bancos, a alternativa é considerada por quem quer comprar a casa própria. Mas antes de recorrer a esta solução, é necessário conferir os prós e contras do negócio

Com a recessão na economia brasileira e o aumento dos níveis de inadimplência dos mutuários, instituições financeiras, como a Caixa Econômica Federal, passaram a restringir a concessão de crédito imobiliário. Para tentar frear o desaquecimento do mercado imobiliário, construtoras têm buscado facilitar as condições de pagamento para compra do imóvel. No entanto, antes de optar por esta solução, é preciso entender quais são as diferenças entre o financiamento por meio das diversas instituições financeiras existentes no mercado e aquele que é realizado diretamente com a construtora, como aponta especialista da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH).

O diretor executivo do escritório de representação da ABMH em São Paulo, Alexandre Naves Soares, informa que, com relação aos bancos, a Caixa e o Banco do Brasil são as únicas instituições financeiras que operam com linhas do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). “Fora isso, pelo menos a princípio, não há diferença entre a CEF, o Banco do Brasil e outros bancos. Cabe ao interessado verificar qual instituição financeira apresenta as melhores condições. Via de regra, o financiamento pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) traz as melhores condições, seja concedido pela CEF, pelo Banco do Brasil ou qualquer outro banco que opere com esses recursos.”

Isto porque, pelo SFH, é obrigatório o seguro da dívida por morte ou invalidez permanente do mutuário, a taxa de juros é limitada em 12% ao ano e há possibilidade de utilização do FGTS para pagamento de parte das prestações, quitação ou amortização do saldo devedor. “Além disso, pelo SFH, o índice de correção monetária utilizado é a TR, que fica em torno de um terço do IGP-M ou INCC ou INPC (utilizado principalmente por construtoras, mas que podem ser empregado em outras linhas de financiamentos)”, informa Alexandre Soares.

Quanto à construtora, o consultor jurídico da ABMH em Sorocaba, Ricardo Pereira Chiaraba diz que, geralmente, se trata de financiamento próprio, cujas taxas de juros são maiores. Há, ainda, o fato de que, enquanto no financiamento bancário as prestações diminuem ao longo dos anos, com a construtora as parcelas podem aumentar, dependendo da modalidade do financiamento. “É necessário observar, também, que alguns contratos não são de compra e venda com financiamento, mas sim de promessa de compra e venda parcelada (a escritura é outorgada após a quitação integral das parcelas), em que as prestações aumentam no decorrer dos anos, de acordo com a taxa de juros e com o índice de correção monetária aplicados. Nessa hipótese, a prestação pode dobrar a cada 5 anos”, alerta.

Apesar disso, para quem não tem condições de recorrer a um banco agora, o conselho de Ricardo Chiaraba é optar pelo financiamento direto como uma alternativa temporária. “Isto é, utilizar esta opção somente no período em que o não tem condições de fazer o financiamento bancário. Tão logo tenha, especialmente por meio do SFH, o ideal é que o comprador faça a migração.”

Ao fechar o negócio, antes de assinar o contrato, é muito importante consultar um especialista, principalmente para obter orientações sobre qual o sistema de amortização utilizado e como isso vai impactar nas prestações. “Ou seja, é preciso saber se a prestação vai diminuir ou aumentar ao longo dos anos, e – na hipótese de aumento – qual será a variação desta parcela. Outro ponto a ser levado em consideração é sobre a possibilidade de quitar o financiamento com a construtora por meio de um financiamento bancário ou consórcio imobiliário. É bom que o contrato traga essa opção.”

Com relação ao percentual máximo de financiamento, ele varia de acordo com os critérios da incorporadora, podendo chegar a 100%, especialmente no caso de imóvel na planta, em construção ou lote. “Mas é necessário ter em mente que o consumidor se tornará proprietário pleno do imóvel somente após a quitação integral do preço da compra e venda. Até que isso aconteça, ele terá somente a posse. Por esse motivo, ao invés de optar por reformas e melhorias, o ideal é focar na quitação do financiamento o mais rápido possível, e só depois incrementar a unidade habitacional”, acrescenta Ricardo Chiaraba.

Saiba como se resguardar a respeito da idoneidade da construtora antes de fechar o negócio


Imóveis prontos

· Solicite a certidão de matrícula do imóvel, com ônus e ações (validade 30 dias)

· Peça certidões negativas de ações judiciais, fornecidas pela Justiça Estadual (ou Comum), Federal e do Trabalho (validade 30 dias)

· Solicite a certidão negativa de débito expedida pelo município (validade 30 dias)

· Peça uma declaração do síndico, a respeito de débitos condominiais (validade 30 dias)

· Não comprometa mais 20% da renda familiar com o pagamento das prestações

Imóveis na planta ou em construção

· Solicite a certidão de registro da incorporação imobiliária e da convenção condominial

· Peça o memorial descritivo da obra

· Verifique a existência e validade da aprovação da obra pela prefeitura (alvará de construção)

· Não comprometa mais 20% da renda familiar com o pagamento das prestações

· Atente-se para o índice de correção monetária do preço do imóvel, lembre-se que as parcelas serão reajustadas por aquele índice até a quitação integral

· Verifique a idoneidade do construtor junto ao Procon de sua cidade

· Visite outros empreendimentos do construtor

· Verifique se todas especificações do imóvel estão discriminadas no memorial descritivo e/ou no contrato particular

Sobre a ABMH – Idealizada 1999 e mantida por mutuários, a Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH) é uma entidade civil sem fins lucrativos que tem como objetivo difundir as formas de defesa de quem compra imóveis, em juízo ou fora dele, com o efetivo cumprimento dos dispositivos legais. Atualmente, a Associação possui representações em 12 estados, além do Distrito Federal e presta consultoria jurídica gratuita.

Dr. Ricardo Pereira Chiaraba
Consultor jurídico da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH) em Sorocaba
Telefone: (15) 3224-1191


Dr. Alexandre Naves Soares
Diretor executivo do escritório de representação da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH) em São Paulo (SP)
Telefone: (11) 5083-0020

Reoneração da folha de pagamento chegará à Justiça

Para Caio Taniguchi, do Aidar SBZ Advogados, aumento das alíquotas incrementará o número de ações judiciais relacionadas à desoneração

São Paulo, 2 de setembro de 2015 - No dia 31 de agosto foi publicada a Lei nº 13.161, alterando a Lei nº 12.546/11 para tornar facultativa a adesão ao programa de desoneração e aumentar as alíquotas incidentes sobre a receita bruta das empresas de alguns setores. A norma entrará em vigor em dezembro desse ano e é possível que seja questionada na Justiça. “Há argumentos jurídicos capazes de fundamentar ação judicial para afastar a majoração das alíquotas”, afirma o advogado Caio Taniguchi, do Aidar SBZ Advogados.

Para o advogado, responsável pela área de Remuneração Estratégica de Executivos e Empregados, é possível questionar a mudança com base nos princípios da isonomia e do equilíbrio financeiro e atuarial. “O que justifica as majorações pretendidas? Por que beneficiar alguns setores e outros não? Além de uma total omissão quanto à demonstração de que as novas alíquotas se prestam exclusivamente a recompor um suposto déficit causado pelo programa de desoneração, estamos diante de uma infundada desigualdade de tratamento aos contribuintes,”, destaca.

Desde a entrada em vigor da Lei nº 12.546/11, que criou o programa de desoneração da folha de pagamentos, contribuintes têm questionado judicialmente a obrigatoriedade de sua adesão, bem como a possibilidade de excluir as receitas de exportação via trading e os valores de ICMS e ISS no cálculo da contribuição.

Se por um lado as decisões que afastam a aplicação da desoneração da folha ainda são raras, o posicionamento de que as receitas de exportação via trading, bem como os valores de ICMS e ISS devem ser excluídos da receita bruta da empresa começa a se consolidar.

Para as empresas prestadoras de serviços enquadradas no artigo 7º da Lei nº 12.546/11 que optarem pela permanência no programa de desoneração, a alíquota passa de 2% para 4,5%, e, para as empresas fabricantes enquadradas no artigo 8º que permanecerem no programa, a alíquota passa de 1% para 2,5%.

Alguns setores foram beneficiados com alíquota de 1,5%, como transportes de carga, empresas jornalísticas e de radiodifusão, empresas de vestuário, entre outros. Outros setores mantiveram a alíquota de 1%, como suinocultura, avicultura, piscicultura e embutidos, bem como aqueles que utilizam misturas e pastas para a preparação de produtos de padaria, pastelaria e da indústria de bolachas e biscoitos.

Com as contribuições previdenciárias, o governo federal deve arrecadar apenas o necessário para custear a seguridade social. A Constituição Federal estabelece ser necessário um estudo financeiro, estatístico e atuarial que justifique as alíquotas e eventuais aumentos. “No entanto, não há justificativa ou estudo para as alíquotas atuais e nem para o aumento, com os novos índices propostos”, afirma Caio.

A norma entrará em vigor em dezembro desse ano. Os contribuintes deverão manifestar a sua opção para o ano de 2015 mediante o recolhimento das contribuições previdenciárias relativas ao mês de novembro. Para os anos seguintes, a opção deverá ser realizada no mês de janeiro. A opção é irretratável e válida para todo o exercício.

“A opção pelo regime de tributação deve levar em consideração todos os aspectos legais e práticos envolvidos, especialmente futuras contratações de mão-de-obra e implantações de programas de remuneração variável”, afirma Caio Taniguchi.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Valor 1000 homenageia empresas de 25 setores

Klabin é a Empresa de Valor 2015 da 15ª edição da premiação promovida pelo Valor Econômico

O Valor Econômico premiou neste dia 24 de agosto as empresas que apresentaram melhor desempenho em 25 setores da economia em 2014. A Klabin, eleita Empresa de Valor 2015, foi o grande destaque da noite de homenagens, realizada no Hotel Unique, em São Paulo, e que contou com apoio da Apex-Brasil, Fundação Dom Cabral e Gillette.

Fabio Schvartsman, diretor-geral da Klabin, e Armando Klabin, presidente do conselho de administração da empresa, receberam o troféu. Armando lembrou que, se os fundadores estivessem presentes, certamente estariam impressionados com o fato de a Klabin dispor de energia para continuar investindo, apostar em novos mercados e manter os princípios de sustentabilidade do negócio.

Na abertura do evento, a diretora de Redação do Valor Econômico, Vera Brandimarte, lembrou que esta edição do anuário tem um papel importante no ano em que se comemora os 15 anos do jornal. “O Valor 1000 foi o primeiro anuário do Valor e em um curto período se tornou uma referência por suas análises de qualidade, fruto de um trabalho minucioso da equipe de jornalistas e da parceria sólida com a Serasa Experian e com a Fundação Getúlio Vargas”. Para chegar às vencedoras e compor o ranking, a equipe analisou mais de 2,7 mil empresas com base em sete quesitos técnicos.

“O ano de 2014 foi atípico pela Copa do Mundo, o processo eleitoral e a operação Lava-Jato, que se reflete nos números do conjunto das maiores companhias brasileiras: se considerarmos a Petrobras, o lucro líquido caiu 34%. Se tirar a Petrobras, cresceu 9%”, lembrou Vera.

O evento contou ainda com palestra de Alexandre Tombini, presidente do Banco Central, que falou para uma plateia formada por cerca de 700 empresários sobre as ações tomadas para garantir a retomada sustentável do crescimento econômico do Brasil. Para Tombini, “em qualquer processo de ajuste, os ônus aparecem sempre mais rápido do que os benefícios e a percepção no início do ajuste é sempre negativa”. Mas, segundo Tombini, a política monetária está seguindo seu curso correto e o governo deve ser vigilante para alcançar a meta de inflação de 4,5% no final de 2016.

O ranking completo das 1000 maiores empresas do país, além de análises produzidas pela Serasa Experian, pelo Centro de Estudos em Finanças da FGV/EAESP e pela equipe de jornalistas do Valor Econômico, está no Valor 1000, que circula neste dia 25 de agosto encartado no jornal para assinantes. O anuário também será vendido nas principais bancas das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. A publicação demostra sua relevância pelos dados de publicidade, com 171,5 páginas do total de 466.

Sobre o Valor Econômico - Fundado em maio de 2000, o Valor Econômico completou 15 anos e é o resultado da união dos grupos Folha de S.Paulo e Globo. Com abrangente cobertura de economia, carreira, legislação e finanças, o Valor é referência para quem procura por notícias que geram negócios. O conteúdo do Valor Econômico apoia as melhores decisões de um grupo seleto de leitores: os principais executivos e líderes do país. Além do jornal, são mais de 100 suplementos e 20 revistas e anuários por ano, com análises aprofundadas sobre temas que impactam no cenário econômico. Todo esse conteúdo está disponível nas plataformas digitais - internet, smartphones e tablets – para ser acessado a qualquer hora e em qualquer lugar.

Sobre o Valor PRO - O Valor PRO é o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico que traz notícias, análises, informações de bastidores, cotações e gráficos, além de um completo banco de dados de empresas brasileiras de capital aberto e fechado. Tudo isso integrado em um único sistema.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Mapa pede ao setor de vinhos estudo de mercado

Kátia Abreu teve audiência com Ibravin nesta quarta-feira (19)

Brasília (19/8/2015) - O setor brasileiro de vinhos apresentará ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) as suas perspectivas de exportação e metas. Isso foi o que ficou acertado nesta quarta-feira (19), durante reunião entre Kátia Abreu e o presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Carlos Paviani.

“Peço que me encaminhem um estudo de mercado, com os objetivos e metas de vocês”, pediu a ministra. O Ibravin informou que já tem esse estudo de mercado e deve encaminhá-lo nos próximos dias.

Além disso, o Ibravin ofereceu ao Mapa um sistema de cadastro de produtores, já em funcionamento para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A lei do vinho estabelece a obrigatoriedade de cadastro dos produtores e o registro de sua produção. A ministra aceitou a oferta e quer aprimorar o sistema, juntamente com os técnicos do Ministério, para que possa ser usado nacionalmente. Ainda não há previsão de quando deverá ocorrer essa integração entre o Ibravin e o Mapa.

Também participaram da reunião os deputados federais Mauro Pereira (PMDB/RS) e Carlos Marum (PMDB/MS), o representante do governo do Rio Grande do Sul, Otaviano Fonseca, e os secretários do Mapa Décio Coutinho (Defesa Agropecuária), Tatiana Palermo (Relações Internacionais) e Caio Rocha (Produtor Rural e Cooperativismo).

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

CONHEÇA OS ALIMENTOS QUE AJUDAM A COMBATER O COLESTEROL


Nutricionista do Mundo Verde lista diversos alimentos que não podem faltar no seu cardápio

Neste sábado (08/08), celebramos o Dia Nacional do Combate ao Colesterol, data instituída no Brasil com objetivo conscientizar a população sobre a importância de inserir hábitos saudáveis no cotidiano. A questão é muito séria, uma vez que doenças associadas ao colesterol alto, mal que atinge cerca de 40% dos brasileiros, são apontadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal causa para a morte de, aproximadamente, 17 milhões de pessoas em todo o mundo. Outro dado alarmante foi publicado recentemente no periódico Circulation, da Associação Americana do Coração. O estudo revelou que a cada dez anos em que uma pessoa vive com a taxa de colesterol elevada, o risco de ela sofrer uma doença do coração aumenta em quase 40%.

De acordo com Flávia Morais, coordenadora de nutrição da rede Mundo Verde, existem dois tipos de colesterol. O bom, chamado de HDL, e o ruim, conhecido como LDL. “Como a própria descrição sugere, o ruim leva ao acúmulo de placas de gordura nas paredes internas das artérias, reduzindo o fornecimento de sangue para órgãos vitais, como o cérebro e o coração. Por razões como essas, o LDL alto está associado ao aparecimento de doenças cardiovasculares – infarto, pressão alta e derrame, por exemplo. Entre as principais causas do aumento em excesso do colesterol estão má alimentação, sedentarismo, ingestão de bebidas alcoólicas em excesso e tabagismo”, explica.

Algumas estratégias podem ajudar a diminuir a fração nociva do colesterol - “LDL” - e aumentar a sua parte benéfica - “HDL” -, reduzindo o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral, como destaca a especialista. “Uma alimentação balanceada, rica em fibras, antioxidantes, com baixo teor de sódio, gorduras trans e saturadas, associada à prática de atividades físicas, o combate ao estresse e ao tabagismo, são medidas fundamentais tanto para a prevenção quanto para o controle do colesterol elevado”, destaca Flávia.
A seguir, a nutricionista elenca alguns alimentos que devem fazer parte do cardápio sem deixar o prazer à mesa.

Frutas vermelhas: (framboesa, amora, mirtilo, cranberry, goji, cereja, açaí, morango): ajudam a controlar as taxas de colesterol sanguíneo e atuam na prevenção da hipertensão arterial, levando ao relaxamento das artérias e contribuindo para uma boa saúde cardiovascular.

Peixes (salmão, atum, sardinha): ricos em ômega-3, um tipo de gordura benéfica, que diminui a captação de LDL pela parede das artérias, previnem contra as placas. Para ter apenas benefícios com o seu consumo, prefira as versões assadas, grelhadas e ensopadas;

Chá Verde: a ingestão regular está relacionada à prevenção e controle de doenças cardiovasculares. É fonte de epigalocatequinas (EGCG), poderoso antioxidante, que ajuda na redução dos níveis de colesterol total e LDL- colesterol;

Chocolate amargo: rico em polifenóis, uma classe poderosa de antioxidantes, que ajudam a potencializar os níveis de HDL, conhecido como o “bom colesterol”. Além disso, impede que as plaquetas grudem umas nas outras, mantendo as artérias desobstruídas;

Abacate: grande fonte de gordura monoinsaturada, que contribui para a redução do LDL colesterol e aumento do HDL colesterol, auxiliando na prevenção de doenças cardiovasculares. Concentra altas quantidades de beta-sitosterol, um fitosterol que reduz a quantidade de colesterol absorvida dos alimentos;

Alho: contêm aliina e alicina, antioxidantes que contribuem para diminuir o colesterol e reduzir a pressão arterial;

Azeite de Oliva: fonte de ômega-9 (gordura do tipo monoinsaturada) e ácidos fenólicos com alto potencial antioxidante. Conferem benefícios na prevenção de doenças cardiovasculares, controle da pressão arterial e do colesterol;

Vinho Tinto: contém uma substância chamada resveratrol, que atua na redução do colesterol e tem efeito antioxidante. Ao impedir que as partículas de LDL, conhecido como “mau colesterol”, se oxidem, a substância evita indiretamente que elas grudem na parede dos vasos. No entanto, é preciso consumir com moderação.

Sobre a rede Mundo Verde
O Mundo Verde, maior rede de lojas especializadas em produtos naturais, orgânicos e para o bem-estar da América Latina, é referência em qualidade de vida e alimentação saudável. Hoje possui mais de 440 lojas no Brasil. A rede oferece ainda o serviço gratuito Alô Nutricionista, para esclarecimentos de dúvidas, dicas e orientações por meio do telefone 0800-022 25 28 FREE.
www.mundoverde.com.br

Acesse a nossa lista de porta-vozes e baixe imagens em alta resolução na Sala de Imprensa da Dezoito. Veja em:http://www.dezoitocom.com.br/

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Número recorde de praias brasileiras buscam certificação internacional



Litorais de Santa Catarina, Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo estão na disputa pela Bandeira Azul, organização que reconhece a responsabilidade socioambiental dos destinos


Prainha, no Rio de Janeiro (RJ), tem o selo de responsabilidade socioambiental Crédito: Bandeira Azul


Tatiana Alarcon

A candidatura de novas praias e marinas brasileiras foi aprovada na última quinta-feira (30), em Brasília, pelo júri nacional do programa Bandeira Azul, que simboliza a responsabilidade socioambiental. Ao todo, sete praias e duas marinas passaram pelo comitê do programa, que reconhece internacionalmente litorais turísticos seguros e ambientalmente preservados. A aprovação ainda passará pelo parecer do júri internacional. Foram cinco novas: Praia de Palmas (Governador Celso Ramos, SC), Praia de Ponta de Nossa Senhora do Guadalupe (Salvador, BA), Praia do Remanso (Rio das Ostras, RJ); a Lagoa do Peri (Florianópolis, SC) e a Lagoa do Iriry (Rio das Ostras, RJ); e duas renovações (que já possuem bandeiras hasteadas): Praia do Tombo (Guarujá, SP) e Prainha (Rio de Janeiro, RJ).

Duas marinas também se candidataram para renovação: a Marina Costabella (Angra dos Reis, RJ) e as Marinas Nacionais (Guarujá, SP). As bandeiras serão hasteadas para a primeira temporada de 2015/2016, que varia de acordo com a região onde se localizam as praias. Como regra geral, ela começará oficialmente a partir do dia 1º de novembro e as bandeiras devem ser hasteadas até, no máximo, dia 15 de dezembro.

Para o ministro do Turismo, Henrique Alves, a certificação reforça a preocupação com as questões ambientais e agrega valor aos destinos turísticos. “O meio ambiente é um dos principais insumos do turismo. Nesse sentido, estamos criando esforços para promover o desenvolvimento sustentável da atividade turística. Essa é uma oportunidade para que outras praias do país se sensibilizem e adotem medidas que as tornem capacitadas a concorrer, ajudando ainda mais a promover o nosso país”, afirma. O Ministério do Turismo é um dos membros que compõe o júri nacional do programa.

O júri internacional, que conta com várias organizações, entre elas a Organização Mundial do Turismo, se reunirá em setembro na Dinamarca para avaliar os nove candidatos brasileiros junto com os demais candidatos de países do Hemisfério Sul. No Brasil, a primeira certificação foi conferida à Praia de Jurerê Internacional, em Santa Catarina, na temporada de 2009/2010.
O Programa Bandeira Azul promove o uso sustentável das áreas costeiras (marinhas e de água doce) por meio de ações de educação e informação ambiental, qualidade da água e balneabilidade, segurança dos usuários e gestão ambiental. O objetivo do programa é unir turismo e lazer às questões ambientais a níveis local, regional, nacional e internacional.

domingo, 2 de agosto de 2015

Internações por acidentes de motos mais que dobram em cinco anos

A proposta levada aos governadores, em reunião no Palácio da Alvorada, envolve sete ministérios e tem como um dos principais eixos a prevenção de mortes e sequelas causadas por motocicletas

O governo federal apresentou durante reunião com governadores nesta quinta-feira (30/7), em Brasília, uma proposta de plano de ação nacional para o enfrentamento das mortes em decorrência da violência no trânsito. O encontro, promovido pela Presidência da República, reforçou a importância de aumentar a segurança nas vias e rodovias e, consequentemente, reduzir mortes e sequelas de acidentes de trânsito, principalmente com motociclistas. Em 2013, 51,8% de todas as internações por acidentes de transporte em hospitais estavam relacionadas a motocicletas.

Confira apresentação do ministro Arthur Chioro

O plano Segurança no Trânsito em Defesa da Vida envolve sete ministérios e está dividido em dez eixos. O eixo Gestão prevê a articulação integrada entre as três esferas de governo. Sobre Informação, a proposta é promover a integração das informações de trânsito dos vários órgãos responsáveis. As medidas abrangem, ainda, projetos de lei como o que permitiria a aquisição de motos somente por condutores habilitados. Já no eixo Educação, o objetivo é ampliar a capacitação dos agentes de trânsito.

“Nas urgências, nos hospitais de traumas e nas unidades de reabilitação estamos acompanhando uma crescente demanda de pacientes vítimas de acidentes de motos. Precisamos de uma ação nacional, envolvendo diversos setores da sociedade e do poder público, para barrar essa epidemia de mortes e traumas”, afirmou Chioro. Segundo o Sistema de Informação Hospitalar, foram registradas, em 2013, mais de 169,7 mil internações por conta de acidentes no trânsito, sendo as motos responsáveis por 88 mil delas – um crescimento de 114% em cinco anos.

O plano está sendo elaborado conjuntamente pelos ministérios da Saúde, Cidades, Justiça, Trabalho e Emprego, Previdência, Educação e Transportes – coordenados pela Casa Civil. A proposta foi apresentada aos governadores com o objetivo de destacar a necessidade da participação dos estados na coordenação de ações e mobilização intersetorial e da sociedade para reduzir a violência no trânsito.

“No eixo Fiscalização, a ideia é intensificar as ações, priorizando aspectos como a mistura álcool/direção, excesso de velocidade, uso dos equipamentos obrigatórios de segurança, habilitação válida e condição segura do veículo”, explicou o ministro.

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2014, 24% dos motoristas do Brasil dizem associar ou já ter associado álcool e direção. Ainda segundo a PNS, metade da população (49,8%) admite nem sempre usar o cinto de segurança no banco de trás dos veículos. Nas áreas rurais do país, 41% afirmam que nem sempre usam capacete quando estão na garupa das motos.

As medidas devem abordar, ainda, Comunicação, Participação social, Infraestrutura, Novas Tecnologias e Atenção às Vítimas. “Para a Atenção às Vítimas, daremos destaque a importância do SAMU e das UPAs, para garantir o resgate de urgência e o serviço de atendimento às vítimas de trânsito”, ressaltou Chioro.

Os gastos do SUS com acidentes de motos foram de R$ 112,9 milhões - uma fatia de mais de 49% do total investido para tratar sequelas de acidentes de trânsito. De acordo com os dados mais recentes do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde, 42,2 mil pessoas morreram no Brasil por conta de acidentes de trânsito em 2013, sendo 12.040 envolvendo motocicletas.

Conferência Global – A segurança no trânsito será debatida este ano em Brasília por 1,5 mil participantes de cerca de 150 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) na “2ª Conferência Global de Alto Nível sobre Segurança no Trânsito – Tempo de Resultados”. O evento, marcado para os dias 18 e 19 de novembro, terá entre seus objetivos avaliar o andamento das iniciativas para redução das mortes e lesões ocorridas no trânsito em todo o mundo em meio à Década de Ação para a Segurança no Trânsito 2011-2020.

O Brasil, que se voluntariou para sediar o evento, é um dos Amigos da Década - um grupo informal comprometido com o sucesso do plano global cuja meta é salvar cinco milhões de vidas no planeta até 2020 por meio da adoção, pelos países comprometidos, de políticas, programas, ações e legislações que aumentem a segurança nas vias especialmente para pedestres, ciclistas e motociclistas - que correspondem à metade das estatísticas de mortes no trânsito, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Também integram o grupo a Federação Russa, Estados Unidos, Espanha, França, Austrália, Argentina, Costa Rica, Índia, México, Marrocos, Nigéria, Omã, Filipinas, África do Sul, Suécia, Tailândia, Turquia, Uruguai, Organização Mundial de Saúde, Banco Mundial, Comissão Econômica para a Europa, Comissão Global pela Segurança no Trânsito (vinculada à Federação Internacional de Automobilismo) e Parceria Global pela Segurança no Trânsito (Vinculada à Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho).

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Marca desenvolve um redutor de gordura abdominal exclusivamente masculino


Dr. JONES lança o ABDOBURN

Reduzir gordura localizada, diminuir a flacidez e tonificar a pele também estão entre as preocupações e objetivos do novo universo masculino. Os homens já são maioria nas academias e estão cada vez mais atentos à saúde e ao corpo.
A Dr. JONES está sempre de olho nas necessidades dos homens e iniciou pesquisas há 2 anos atrás para desenvolver um redutor de medidas e flacidez do abdomen, e o resultado finalmente chegou. A fórmula exclusiva do ABDOBURN é composta principalmente pela cafeína que facilita a penetração e absorção do produto na pele, e pela a planta africana Chrysanthellum indicum que potencializa a ação lipolítica - que estimula as enzimas a reduzir e queimar reservas de gorduras.
A marca realizou testes clínicos e obteve 100% de aprovação entre os homens que participaram, sendo que 97% sentiram melhora da flacidez da pele na região abdominal. 67% dos voluntários apresentaram redução na circunferência abdominal, entre eles 85% perderam 2cm ou mais e a redução média foi de 4,3cm.
Para Guilherme Campos, um dos sócios fundadores da Dr. JONES, "o ABDOBURN é o aliado perfeito para o homem que possui uma rotina de bem-estar e pratica atividades físicas".

Preço: R$119,00
Sac: www.drjones.com.br

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Novos cursos de medicina oferecerão 930 vagas em São Paulo

Instituições foram escolhidas por critérios objetivos, como qualidade do projeto pedagógico, proposta de investimento na rede pública e plano de implantação de residência médica.


Os novos cursos de medicina criados dentro da estratégia do Programa Mais Médicos vão ofertar 930 vagas de graduação em 13 cidades de São Paulo. Em todo o país serão 2.290 vagas de graduação em 36 municípios. As localidades contempladas não têm faculdade na área e não são capitais de estado, o que contribui para a interiorização do ensino médico. Os ministros da Saúde, Arthur Chioro, e da Educação, Renato Janine Ribeiro, anunciaram nesta sexta-feira (10/7) a escolha das instituições de ensino superior (IES) particulares que devem implantar o curso até 2016.

Confira a lista de instituições selecionadas

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, enfatizou a relevância desta parte do Programa Mais Médicos para as perspectivas de médio e longo prazo. “Nós vivemos, na área da Medicina, da abertura de novos cursos de graduação, uma transformação extremamente importante”, declarou. “Hoje nós vivemos um marco: o Mais Médicos não é apenas uma política de provimento e garantia na Atenção Básica. É uma medida estruturante da formação médica no Brasil”, completou.

A medida faz parte da ampla estratégia de reestruturação do atendimento médico no país, que abrange ações na área de provimento de profissionais, formação médica e infraestrutura. As instituições de ensino superior (IES) particulares responsáveis já foram escolhidas, e devem implantar os cursos em até 18 meses sob o monitoramento do Ministério da Educação.

A definição ocorreu em três etapas. Primeiro, em fase eliminatória, foram selecionadas os estabelecimentos que atendiam aos pré-requisitos relativos à saúde financeira da instituição, do plano de negócios, e da capacidade econômico-financeira para ofertar curso de medicina. Neste momento, que utilizou metodologia criada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), 115 instituições foram habilitadas, entre 216 inscritas. Em seguida, foi analisada a experiência por meio dos seguintes critérios: indicadores de qualidade das IES vinculadas e dos cursos da área de saúde, oferta de curso de Medicina, existência residência médica e pós-graduação stricto sensu e processos de supervisão. Após esta avaliação, 64 propostas foram classificadas.

A fase final, de análise e classificação das propostas, identificou os melhores projetos. A avaliação foi realizada por especialistas, médicos professores de Medicina de universidades federais, integrantes da Comissão de Acompanhamento e Monitoramento de Escolas Médicas. Foram considerados o projeto pedagógico, o plano de infraestrutura da instituição, de contrapartida à estrutura de serviços, ações e programas de saúde do município, plano de implantação de residência médica e o de oferta de bolsas para alunos.

A seleção das 39 cidades que receberão os cursos ocorreu em 2014 e obedeceu a regras que garantem a expansão do ensino médico para regiões prioritárias. As cidades selecionadas têm 70 mil habitantes ou mais e estão localizadas em 11 estados de quatro regiões, no interior e regiões metropolitanas, sendo que nenhuma é capital. Na escolha, o Ministério da Educação levou em conta a necessidade social do curso, a estrutura da rede de saúde para realização das atividades práticas e a capacidade para abertura de programa de residência médica.

Três municípios (170 vagas) não tiveram propostas selecionadas, e serão incluídos no edital seguinte, já em curso. O resultado da seleção de instituições é preliminar, sendo que a decisão final será divulgada no final de agosto, após a fase de recursos, que podem ser apresentados entre 13 e 22 de julho.

22 MUNICÍPIOS EM 2015 – O Governo Federal elegeu, este ano, mais 22 municípios para a criação de cursos de Medicina em instituições particulares. Essas cidades estão em oito estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, regiões com menor proporção de vagas de graduação e médicos por habitantes.

Confira a lista de municípios pré-selecionados

Com o objetivo de focar em municípios com maior escassez de médicos, o Governo Federal definiu algumas regras inovadoras em compararão com a seleção de 2013/2014. Nesta chamada, só foram pré-selecionadas cidades que se localizam em estados com relação de vagas em curso de medicina por 10 mil habitantes inferior a 1,34 e com índice de médicos a cada mil habitantes menor que 2,7. Também foi necessário que o município estivesse a, no mínimo, 75 quilômetros de qualquer curso de medicina existente.

Além desses requisitos, foram utilizados também outros critérios objetivos para a pré-seleção: não ser capital de estado; não ter curso de medicina; ter mais de 50 mil habitantes; e estar localizado em região com estrutura de saúde e de equipamentos públicos, cenários de atenção na rede e programas de saúde adequados para comportar a oferta de graduação em medicina. Após a adesão dos municípios interessados, foram realizadas visitas técnicas in loco. A finalidade foi verificar se a estrutura da rede de saúde local atende o mínimo necessário para comportar as atividades práticas do curso de medicina. A relação de cidades selecionadas será divulgada no final de julho.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

6ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional contará com palestra do ministro Patrus Ananias

Logo mais às 13h será aberta a 6ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, que contará com palestra magna do ministro do Desenvolvimento Agrário Patrus Ananias sobre o tema Abastecimento e Segurança Alimentar na Metrópole.

Precedida por sete pré-conferências macrorregionais, a conferência vai reunir, nesta sexta, 26, e amanhã, centenas de delegados (integrantes da sociedade civil e do poder público) e os 84 membros do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comusan) para debater propostas da construção de políticas para o Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional.

Com o tema “Comida de verdade no campo e na cidade: por direitos e soberania alimentar”, a conferência abrirá a discussão sobre a produção dos alimentos até a chegada à mesa de cada cidadão. Na programação do evento serão discutidos três eixos temáticos: “Comida de verdade: avanços e obstáculos para a conquista da alimentação adequada e saudável”; “Estratégias para criação de políticas públicas” e “Adesão e participação social no Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN)”.

Durante a solenidade de abertura, que contará também com o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Arnoldo de Campos, será assinada a adesão da cidade de São Paulo ao SISAN e também ocorrerá a inauguração do Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional (Cresan).

O evento contará ainda com a presença de prefeitos e de representantes de prefeituras que investem na agricultura familiar e na segurança alimentar.

Cafeicultura brasileira investe em pesquisa e inovação

Termina nesta sexta, 26, a 9ª edição do Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, no Paraná, que discutiu tendências de mercado e potencialidades da cafeicultura brasileira

Pesquisa, mercado, tendências e oportunidades para a cafeicultura nacional foram assuntos discutidos durante a 9ª edição do Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, que termina nessa sexta, 26, em Curitiba (PR). O evento bienal reuniu mais de 500 participantes, de 14 estados brasileiros e dos países Porto Rico e EUA.

No total foram realizadas 22 palestras divididas em oito painéis temáticos, além de apresentações de pôsteres com divulgação de recentes pesquisas desenvolvidas pelas instituições que integram o Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. De acordo com o gerente-geral da Embrapa Café, Gabriel Bartholo, esta edição trouxe pela primeira vez palestrantes cafeicultores. "São os produtores rurais que validam as tecnologias geradas pela pesquisa, além de prospectarem novos estudos", afirma. O cafeicultor Adolfo Henrique Ferreira, relatou sua experiência com produção de café e mostrou que é possível a viabilidade econômica na cafeicultura de montanha. "A altitude já é favorável ao fator qualidade do produto e com adoção de novas tecnologias geradas, conseguimos melhorar o processo produtivo", ressalta. Adolfo produz café especial para os mercados interno e externo e disse estar otimista quanto às oportunidades de mercado que cresceram, significativamente, nos últimos cinco anos.


Para ler a matéria na íntegra, acesse os sites da Embrapa Café e do Consórcio Pesquisa Café.

terça-feira, 23 de junho de 2015

Mapa e prefeitura de SP firmam acordo para novo entreposto da Ceagesp

Kátia Abreu e Fernando Haddad assinaram termo de cooperação para dar início aos estudos

Brasília (23/6/2015) - A ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, assinaram nesta terça-feira (23) um termo de cooperação para estudar a viabilidade de um novo local para abrigar a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). A mudança visa a aliviar o trânsito na região e atender melhor aos comerciantes.

O documento, que também foi assinado pelo ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, prevê que o novo entreposto deve preferencialmente ser situado no município de São Paulo. A Ceagesp ocupa atualmente 700 metros quadrados na Vila Leopoldina, região que deverá ser transformada em um bairro.

“Essa região, que quando foi escolhida era distante do centro, valorizou-se muito e acabou se tornando um problema para quem está comercializando no Ceagesp. Consultamos detalhadamente quem está na companhia e o resultado foi unânime. Não encontramos praticamente ninguém que se manifestasse contrariamente”, afirmou a ministra, ao lado do prefeito, durante a cerimônia de assinatura do termo, no Ministério da Agricultura.

Fernando Haddad disse que a mudança do Ceagesp vai equilibrar as oportunidades de emprego e moradia naquele território. “Para nós, é o maior empreendimento urbanístico que a capital tem pela frente”, destacou o prefeito.

Com a assinatura do termo, explicou Kátia Abreu, o ministério vai passar a estudar as opções para o novo terreno que abrigará a companhia. “Vamos consultar a própria Ceagesp, que tem larga experiência no assunto, e a prefeitura, que nos orientará em relação às opções disponíveis”, disse.

A ministra espera que até junho de 2016 esteja concluído o processo licitatório da construção do novo entreposto e as obras tenham início.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Presenteie no Dia dos Namorados sem dívidas


No dia 12 de junho se comemora o Dia dos Namorados. Muitos casais não medem esforços para impressionar o parceiro com um presente especial ou uma surpresa. Porém, sem querer quebrar o clima de romantismo, chamo a atenção dos casais para alguns cuidados que ajudam a evitar o endividamento desnecessário – já que isso pode até mesmo esfriar a relação - e recomendações que ajudam a fortalecer os sonhos que pretendem realizar juntos.

É importante ter em mente que nessa data o comércio procura faturar mais, já que sabe que as compras estão motivadas pela emoção e não pela razão, e em alguns casos pela insegurança, que costuma ser má conselheira. Alguns casais no início do namoro acham que é preciso impressionar o outro com um presente caro. O risco é que as prestações podem durar mais do que o namoro. Se a relação estiver dependendo de presentes caros para vingar não é uma relação sadia nem verdadeira

Se a condição não for adequada, porquê não pensar em pequenas surpresas, como um jantar preparado especialmente para o parceiro. Além de reforçar o romantismo e surpreender o parceiro, vai gastar menos. O sentido de presentear é dar algo que fará lembrar de quem deu. Mas de nada adianta ser um namorado ausente ou displicente no dia-a-dia e querer compensar com um presente no Dia dos Namorados?

Há quem fique constrangido de não poder presentear o parceiro em datas comemorativas como essa por estar no vermelho. Para casais endividados, o conselho é que se presenteiem com a decisão de livrar-se das dívidas Quem ama cuida, inclusive da saúde financeira do amado. É importante estimular e ajudar o parceiro a saldar seus compromissos para que fiquem livres para as futuras escolhas que poderão fazer juntos.

Se já é uma relação estável, o casal deve investir em seus sonhos comuns. Seja uma viagem, a compra da casa ou do carro, a festa de noivado ou do casamento, não importa. Para realizar os sonhos, é preciso saber quanto eles custam e calcular quanto será necessário poupar, juntos, para o sonho ser realizado dentro do prazo desejado.

Em paralelo, o casal deve fazer um diagnóstico financeiro de seus ganhos e gastos, definir os cortes de despesas necessários para que o sonho seja priorizado no orçamento. Além do amor recíproco, só assim poderão planejar o futuro do casal em bases consistentes – do ponto de vista financeiro, de companheirismo, confiança, responsabilidade e maturidade.

Essas dicas são inspiradas em recomendações do meu livro Livre-se das Dívidas, onde falo sobre um assunto polêmico, que afeta a maioria das famílias brasileiras: o endividamento. Comparando-o a um imenso iceberg, que se forma silenciosamente e pouco a pouco vai tomando corpo, muitas vezes, as pessoas só notam o problema quando ele já adquiriu uma dimensão assustadora, comprometendo o equilíbrio financeiro e a realização dos sonhos.

Para combater as dívidas e recuperar a sustentabilidade financeira, sugiro uma verdadeira transformação de hábitos e comportamentos, que passa por enxergar o dinheiro como meio, não como fim, e combater a causa da geração da dívida, não apenas seus efeitos.

Reinaldo Domingos é educador e terapeuta financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira, Abefin e Editora DSOP, autor do best-seller Terapia Financeira, dos lançamentos Papo Empreendedor e Sabedoria Financeira, entre outras obras.